Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Marcar seis golos num jogo e outras quatro coisas que Ronaldo ainda não fez

  • 333

FOTO GETTY

O Real Madrid massacrou o Granada com nove golos e Cristiano marcou cinco num só jogo pela primeira vez. É mais um marco para a longa lista de recordes de Ronaldo, a quem o ano até nem estava a correr muito bem.

Sabem o que é bom nos eclipses? É que duram pouco. Há algumas semanas, Ronaldo andava apagado - o fim do namoro com Irina, a agressão a um adversário, a festa de aniversário no mesmo dia da goleada imposta pelo rival Atlético e os assobios dos adeptos que sempre o idolatraram - e nem os números ajudavam, porque Messi superava-o em golos e assistências.

Até este domingo. Foram c-i-n-c-o golos ao Granada (o Real Madrid ganhou por 9-1) que voltaram a fazer de Ronaldo o melhor marcador da Liga espanhola (36 golos, mais quatro do que Messi) e merecedor de elogios de adeptos e colegas - "ele é fenomenal", disse Benzema.

Foi a primeira vez que Ronaldo marcou cinco golos num jogo (esta época já vai com 47 golos em 41 jogos - a título de comparação, o Sporting de Braga, 4º classificado da Liga portuguesa, tem 41 golos marcados), um dos poucos marcos que ainda não tinha atingido (Messi já o tinha conseguido num 7-1 do Barcelona ao Leverkusen, na Liga dos Campeões, em 2012).

Vejamos o que ainda falta a quem já conseguiu quase tudo (sempre num despique fenomenal com Messi):

1. Marcar seis golos num jogo

Então o homem ainda agora marcou cinco e já o querem a marcar seis? Claro. Porque é do extraordinário e não do ordinário que as lendas, como Ronaldo e Messi, são feitas. No Real Madrid, Fernando Morientes era o último a ter conseguido marcar cinco, numa goleada de 7-0 ao Las Palmas, em 2001/02. Mas em relação ao duplo hat trick, a referência de Ronaldo deve ser um sportinguista e não um madridista: Mascarenhas, avançado que marcou seis dos 16 golos do Sporting contra o Apoel FC, em 1963, na extinta Taça das Taças.

2. Tornar-se o maior goleador da história do Real Madrid

Com o "repoker" (é assim que os espanhóis designam a marcação de cinco golos num jogo), Ronaldo atingiu os 300 golos ao serviço do Real Madrid, em seis épocas. À frente do português só há dois jogadores: Raúl, com 323 golos, e Di Stéfano, com 308. A diferença é que Raúl esteve presente em 741 jogos e Di Stéfano em 396. Ronaldo ainda só soma 287 jogos.

3. Igualar as Bolas de Ouro de Messi

Foi o próprio que estabeleceu a meta quando recebeu a terceira Bola de Ouro da carreira, em janeiro: "Nunca escondi que tenho o objetivo de entrar para a história como o melhor. Consegui três troféus, agora estou atrás de Messi, com quatro. Espero não parar por aqui. Quero alcançar o Messi na próxima época". A marcar cinco golos por jogos é mais do que possível.

4. Ser o melhor marcador de todas as edições da Liga dos Campeões

Tecnicamente já o é, com 75 golos em 111 jogos. Só que há outro que também tem a mesma marca, com menos jogos (92): Messi, pois claro. Será uma luta taco a taco até ao final das carreiras de ambos. O único problema é que Messi, 27 anos, ainda deverá ter mais épocas pela frente do que o trintão Ronaldo.

5.  Ser o melhor marcador da história da Liga espanhola

É difícil? É. É impossível? Não. Ronaldo já é o oitavo melhor da prova, com 214 golos em 191 jogos e está próximo de apanhar o sétimo lugar, ocupado por Quini, com 219 golos. O pior é mesmo apanhar o número um da lista, que já tem 275 golos. Lionel Messi, pois claro.