Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Mais atletas no Projeto Olímpico do que há quatro anos

Portugal tem mais atletas, mais treinadores e mais modalidades no projeto Londres 2012 do que o que se registava há quatro anos, o que leva Vicente de Moura a mostrar "grande satisfação e otimismo".

Portugal tem mais atletas, mais treinadores e mais modalidades no projeto Londres 2012 do que o que se registava há quatro anos, o que leva Vicente de Moura a mostrar "grande satisfação e otimismo" quanto ao ciclo olímpico em curso. 

O presidente do Comité Olímpico de Portugal esteve na Assembleia da República para uma audição no Grupo de Trabalho do Desporto sobre o "acompanhamento do Projeto Olímpico Londres 2012 e das políticas de alto rendimento", transmitindo aos deputados "total confiança e otimismo" sobre o que se está a fazer.

Em 2009 foram integrados 115 atletas e 56 treinadores, de 18 modalidades, transitando 29 atletas do Projeto Pequim 2008, ou seja um acréscimo de 38 praticantes e duas modalidades, face ao período homólogo do anterior ciclo (2005), revelou.  

Para o COP, isso é "um diferencial revelador do inequívoco aumento qualitativo e quantitativo do nível médio desportivo da alta competição portuguesa".

Parceria com o IDP

Vicente de Moura destacou perante os deputados a "grande importância" de se ter reforçado a "interligação" com o Instituto do Desporto de Portugal (IDP). "Foi determinante ter passado a integrar os trabalhos, presencialmente no COP, um representante do IDP, o que veio aligeirar os procedimentos burocráticos que no passado se verificavam". 

"A relação entre os dois organismos está a ser excelente", sintetizou Vicente de Moura, agradado também com "a clarificação dos termos e a filosofia adotada no contrato-programa celebrado entre o IDP e o COP". 

Vicente de Moura respondeu a perguntas dos deputados sobre a actividade dos Centros de Alto Rendimento, pagamento de bolsas e fiscalidade dos desportistas de alta competição, campos em que tudo está "a decorrer na normalidade".

Talentos nas escolas

Por outro lado, sugeriu como investimento a médio prazo que se incentivasse "um programa de deteção de novos talentos, a nível das escolas". 

Dos 115 atletas no projeto olímpico, apenas quatro recebem a bolsa máxima, de "medalhado" (nível 1): Nelson Évora, Telma Monteiro, João Costa e Vanessa Fernandes. 

Vanessa e Nelson vão manter o estatuto até aos Jogos Olímpicos, enquanto que Telma e João Costa descerão ao nível 2 no decorrer de 2010, se não conseguirem resultados de topo, entretanto. 

No nível 2 ("finalista)") estão 21 atletas, no nível 3 ("semifinalista") estão 21, no nível 4 estão nove, no nível A estão 10 e no nível B estão 28. 

O atletismo é a modalidade mais contemplada - 25 atletas contra 10 há quatro anos - seguindo-se o voleibol (16), a natação (14) e a vela (9).

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.