Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Jesus lamenta sofrimento desnecessário (vídeo)

Jorge Jesus lamentou o sofrimento desnecessário do Benfica para conseguir a vitória sobre a Académica de Coimbra,enquanto que André Villas-Boas se mostrou desiludido por não pontuar. (Veja vídeo SIC)

O treinador do Benfica, Jorge Jesus, lamentou o sofrimento desnecessário para conseguir a vitória sobre a Académica de Coimbra, destacando a concretização do "objetivo número um". 

"Acabamos por sofrer, quando não era preciso sofrer tanto, depois de ter estado a ganhar por 3-1 e ter sofrido aquele golo não era necessário", referiu Jesus, reconhecendo que quando retomou a vantagem (2-1), antes do intervalo, sentiu que "dificilmente" os perderia o jogo. 

O técnico "encarnado" destacou a entrada "forte" na partida, que deu a sensação de que "o jogo poderia tornar-se fácil".  

"Essa vantagem permitiu que os jogadores do Benfica mudassem alguns comportamentos defensivos e a Académica começou a dividir o jogo", explicou Jesus, reiterando que "ainda nada está decidido": "O futebol não é matemática, não é uma ciência exata e temos nove pontos em disputa, seis de vantagem e tudo é possível". 

Assumindo a preferência pessoal de que o Sporting de Braga garanta a segunda posição, "sendo o Benfica campeão", mas acabou por sublinhar que para os "encarnados" é "indiferente". 

"A nossa equipa saiu vencedora e agora temos mais cinco pontos do que os que fizemos na primeira volta, agora temos de tentar gerir os seis pontos de vantagem que temos sobre o Sporting de Braga", reiterou Jesus, acrescentando que a sua formação sente agora "uma ansiedade positiva porque o objetivo está mais próximo, mas não está conquistado". 

Villas-Boas desiludido por não pontuar

Já o treinador da Académica sublinhou que o "primeiro golo do Benfica, logo nos primeiros minutos, condicionou o jogo". 

"O que fizemos depois, era o que queríamos fazer com o resultado em zero a zero. Andar sempre atrás do prejuízo não é bom, acho que fizemos um bom jogo, mas isso, sem pontuar, não basta", frisou André Villas-Boas, reconhecendo que a "briosa" ocupa uma "posição privilegiada para garantir a manutenção já na próxima semana com o Leixões". 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.