Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Dia D para Fernando Santos

  • 333

Fernando Santos à espera do veredicto do Tribunal Arbitral do desporto

António Cotrim/Lusa

Selecionador nacional de futebol terá mesmo de cumprir os oito jogos de castigo aplicados pela FIFA? A decisão do Tribunal Arbitral do Desporto será conhecida esta segunda-feira à tarde.

O selecionador nacional de futebol ficará a conhecer esta segunda-feira à tarde a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) sobre o recurso ao castigo de oito jogos oficiais imposto pela FIFA, uma pena que poderá afastar o selecionador português de futebol dos 'bancos' um ano.

Fernando Santos foi expulso na partida frente à Costa Rica, ainda como selecionador da Grécia, nos oitavos de final do Mundial 2014, e punido com oito jogos de suspensão e uma multa de 20 mil francos suíços (cerca de 16.500 euros), por "conduta antidesportiva para com os árbitros", a 4 de agosto último.

Com cinco encontros por disputar na qualificação para o Euro 2016, a manutenção do castigo afasta Fernando Santos, 60 anos, do resto do apuramento e de três jogos da fase de grupos, caso Portugal se apure diretamente, sem passar pelos 'play-offs', para a competição que se vai disputar em França.

Atualmente, a seleção portuguesa ocupa o segundo lugar do grupo I, com menos um ponto, mas também menos um jogo do que a Dinamarca, que lidera. Neste agrupamento, os dois primeiros classificados apuram-se diretamente, enquanto o terceiro disputará um 'play-off'.

Se a seleção portuguesa falhar o apuramento, este castigo só irá permitir o regresso de Fernando Santos no início de 2017, em plena fase de qualificação para o Mundial2018, um cenário de quase dois anos de afastamento.

Praticamente certa é a ausência de Fernando Santos do banco de Portugal no encontro de domingo, frente à Sérvia, no Estádio da Luz, de qualificação para o Euro2016.

Em entrevista à TSF a 5 de janeiro, o seleccionador luso assumiu que se deveria pensar na sua continuidade no cenário extremo de o TAD manter os oito jogos de castigo, embora não acredite que isso vá acontecer.

"Deveríamos ponderar se na realidade tudo deve continuar. Para mim, não está em causa, penso que para o presidente [da Federação Portuguesa de Futebol] também não, mas acho que, se isso viesse a acontecer, devíamos ter claramente um momento para pensar", disse.

A derrota caseira com a Albânia levou à saída de Paulo Bento a 11 de setembro e à sua substituição por Fernando Santos, 13 dias depois, numa altura em que já era conhecido o castigo decidido pela FIFA.

Contudo, o seleccionador acabou por se sentar no banco nas vitórias de Portugal sobre a Dinamarca e a Arménia, ambas por 1-0, depois de o TAD ter aceitado o pedido de suspensão da pena até que fosse tomada a decisão final.