Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Criança que cantou na abertura dos Jogos fez 'playback'

Lin Miaoke encantou o mundo quando cantou na abertura dos Olímpicos, mas, afinal, a criança limitou-se a fazer 'playback'. É que a organização entendeu que a menina que gravou o original não tinha uma cara suficientemente bonita para aparecer e isso era "uma questão de interesse nacional". (Visite o dossiê dos Jogos Olímpicos).

Há uma nova polémica com a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos. Depois de se ter descoberto que as imagens aéreas do fogo de artifício transmitidas na televisão foram criadas por um programa de computador. Agora, soube-se que a criança que cantou a canção, Lin Miaoke, estava na realidade a fazer 'playback'.

A menina da voz original, Yang Peiyi, não tinha uma cara suficientemente bonita para aparecer no evento transmitido para todo o mundo. "Foi uma questão de interesse nacional", disse Chen Qigang, responsável musical da cerimónia numa entrevista na rádio nacional

"A menina devia ter uma imagem perfeita e capaz de transmitir emoções", avança o mesmo responsável, numa tentativa de justificar a decisão que está a causar polémica.

Fogo de artifício criado em computador

A polémica do 'playback' surge dois dias depois de ter sido descoberta a primeira mentira da cerimónia: as imagens do que seriam pegadas respresentadas em fogo de artifício - que caminharam no céu e foram transmitidas pelo mundo inteiro -, não só não eram reais, como foram metidas no meio do suposto directo televisivo da cerimónia de abertrurda dos jogos.

O jornal inglês "Telegraph" afirma que as imagens de fogo de artifício que correram o mundo foram criadas por computador. Mas aqui, a China diz que o fez por "questões de segurança".

O fogo de artifício foi de facto disparado para o ar, mas "seria perigoso captar as imagens". Daí que os anfitriões chineses tenham decidido criar durante um ano, um programa de computador que pudesse mostrar ao mundo aquilo que os espectadores do 'Ninho de pássaro' viam.

O truque foi revelado por um jornal chinês, o "Beijing Times", no fim-de-semana a seguir à cerimónia de abertura. Gao Xiaolong, responsável pelos efeitos visuais da cerimónia, revelou que levou quase um ano a criar a ilusão de 55 segundos.

Jogos Olímpicos 2008

24 horas de informação