Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

CR7 "para sempre" na Madeira. "Isto dá-me motivação para continuar a progredir na carreira"

Autógrafos. Fãs e turistas na Madeira registam o momento com o melhor do mundo. Para mais tarde recordar

José Sena Goulão/Lusa

Fenómeno do futebol mundial, Cristiano Ronaldo regressou às origens para um momento histórico. "O cidadão do mundo que levou o nome da Madeira aos mais recôndidos cantos" foi brindado com duas homenagens: a mais alta distinção da ilha e a imortalização em estátua. Representa a "força" do povo madeirense, "explorado séculos e séculos", diz Jardim. "É um hino ao trabalho".

Raquel Pinto

Raquel Pinto

Jornalista

O melhor jogador do mundo, eleito por duas vezes pela  FIFA, em 2008 e 2013,  chegou de carro às 10h52 ao edifício da Assembleia Legislativa da Madeira, fazendo-se acompanhar pelo irmão Hugo Aveiro e o agente Jorge Mendes. À sua espera muito fãs e turistas, a quem distribui cumprimentos, sorrisos e até autógrafos. Lá dentro, no Salão Nobre, centenas de diversas personalidades políticas e desportivas. CR7, um ícone de Portugal, que nunca esqueceu as origens, de referir a Madeira por onde passa, nasceu a 5 de fevereiro de 1985, no Funchal. Saiu criança para Lisboa, rumo ao Sporting, para perseguir um sonho. Cresceu e voltou a passar fronteiras. Esperava-o uma carreira internacional. Coleciona troféus, soma recordes, cá dentro e lá fora. Ainda fresco, o título de Mundial de Clubes, conquistado no sábado pelo Real Madrid. Tem inscrito o seu nome nas páginas da história do desporto rei, não esconde ambições e arrisca-se a ser o melhor dos melhores na sua profissão.

"Os elogios estão esgotados", diz o presidente do Parlamento madeirense na cerimónia de atribuição da mais alta condecoração da região autónoma - o Cordão Autonómico de Distinção. Miguel Mendonça descreve Cristiano Ronaldo como "um cidadão do mundo, um ídolo para cidadãos de todas as nacionalidades" que "leva o nome da Madeira e Portugal aos mais recôndidos espaços do mundo" e que  "faz do seu trabalho o seu mandamento". 

"A divisa foi sempre o trabalho. Não há sucesso sem trabalho", insiste, mas Cristiano Ronaldo tem "outras virtudes", assinala. "Não se deixou fascinar pelo sucesso". Esse "é-lhe natural, fruto do seu trabalho".  Recebe o mais alto galardão da Região Autónoma da Madeira pela forma "extraordinária" com que desempenha a sua profissão, "o seu carácter" e "o conjunto de qualidades, que não exibe e que guarda com naturalidade".  "É um homem do povo que levou a terra no coração e a mensagem de que a Madeira é um destino, feliz e agradável", sublinha o presidente do Parlamento.

"É muito especial ter uma estátua ainda vivo"

Cristiano Ronaldo agraciado com a Cordão Autonómico de Distinção pelas mãos do Presidente do Parlamento madeirense Miguel Mendonça

Cristiano Ronaldo agraciado com a Cordão Autonómico de Distinção pelas mãos do Presidente do Parlamento madeirense Miguel Mendonça

Homem de Gouveia/Lusa

Registo do momento histórico. 21 de dezembro de 2014, 11h07. "Sou eu agora que tenho que falar?". Cristiano Ronaldo, pela naturalidade, faz soltar gargalhadas na plateia. "É um pivilégio ser condecorado com esta medalha", sublinha depois de mencionar o "orgulho" que sente por estar de volta à Madeira, "onde tem as suas raízes". "Não tenho palavras para descrever o que sinto. Como sabem, o discurso não é o meu forte, sou melhor a jogar", diz bem disposto.

"Muito obrigado. É um momento histórico que guardarei num canto muito especial da minha vida". Isto dá-me motivação para progredir cada vez mais na minha carreira", concluiu. Por cumprir, no programa da distinção, havia outra segunda homenagem. A inauguração da estátua CR7, com a assinatura do escultor Ricardo Velosa, natural da terra. Aos 29 anos, Cristiano Ronaldo vê perpetuados os feitos e memória, sem ser a título póstumo.

"É muito especial ter uma estátua ainda vivo. Se querem fazer homenagens, façam quando [as pessoas] estão vivas". Arrancou aplausos de uma multidão na Praça da Mar. Foi na Madeira "que tudo começou", onde teve as "bases da vida e do futebol". Agrdeceu à família, "seguramente" sem ela não teria sido possível.

Cristiano contou com a ajuda do filho para inaugurar a estátua

Cristiano contou com a ajuda do filho para inaugurar a estátua

José Sena Goulão/EPA

A estátua "não é apenas a homenagem a "um grande homem", tem também "muito a ver com a força de vontade" dos madeirenses. Na segunda cerimónia de distinção de Cristiano Ronaldo, o Presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, salientou: "Vivemos numa ilha isolada séculos e séculos, explorado de de fora e de dentro. Este povo não só sobreviveu nesta ilha difícil como conseguiu sair e demonstrar a força do nosso povo. É também um hino ao trabalho".

Cristiano conseguiu "afirmar-se na vida com muito trabalho, muita disciplina e empenho, com a educação que teve no berço e bebeu na terra". "Parabéns Cristiano e obrigado por este momento", terminaria, não sem antes estender os agradecimentos ao escultor e à iniciativa da administração e direção do Jornal da Madeira, "o diário que lutou contra a opressão do povo madeirense". 

Foram as mãos de Cristiano Ronaldo e do filho que puseram a descoberto a estátua, feita em bronze, com uma altura de 3,40 metros. Pesa 800 quilos e demorou dez dias a ser executada, no atelier de Ricardo Velosa, em Vila Nova de Gaia. 

Agora, vamos lá saber. Se Cristiano Ronaldo gostou? "Está bem feita. Gostei muito. Está mais bonita do que eu", brincou. Falta ainda a concretização da reinstalação do Museu CR7 na Praça do Mar para que esta zona seja o 'pedacinho de terra' Cristiano Ronaldo.