Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Armstrong "não tem lugar no ciclismo"

Pat McQuaid, presidente da UCI: "Creio que é melhor esquecer Lance Armstrong no mundo do ciclismo"

Salvatore di Nolfi/EPA

União Ciclista Internacional retirou hoje a Lance Armstrong as suas sete vitórias na Volta a França

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Lance Armstrong perdeu as sete vitórias na Volta a França, decidiu hoje a União Ciclista Internacional (UCI). O organismo máximo do ciclismo mundial retirou

ao ex-atleta os seus triunfos na competição, na sequência do relatório da Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA) que o acusa de dopagem sistemática.  

  

Já retirado,  o norte-americano Lance Armstrong, um sobrevivente do cancro, venceu o Tour consecutivamente entre 1999 e 2005 e, após anos de suspeições, foi acusado e punido pela USADA, que, entre outras coisas, apoiou a sua decisão em testemunhos de 11 dos antigos companheiros de equipa. 

De acordo com a UCI, as provas de que o ciclista se dopou durante todos os seus anos de glória (de 1999 a 2005) são concludentes. A UCI reconheceu hoje a sanção imposta pela USADA- Agência Antidoping dos Estados Unidos, e avançou que não apelará ao Tribunal Desportivo de Arbitragem.

"Sem lugar no ciclismo"

Lance Armstrong, que chegou a ser considerado um modelo de desportista, além de perder as vitórias que o consagrou internacionalmente na Volta a França foi também humilhado. "Armstrong não tem lugar no ciclismo", declarou o presidente da UCI, o irlandês Pat McQuaid, durante uma conferência de imprensa, em Genebra, depois de ter qualificado este dia como "muito importante para o ciclismo". 

  

A UCI confirmou as sanções aplicadas em agosto pela USADA, que irradiou

Armstrong e anulou os resultados da maior parte da sua carreira. Armstrong,

de 41 anos, abandonou o ciclismo profissional em definitivo no início de

2011, depois de uma primeira retirada entre 2006 e 2008.  

  

No seu relatório de 202 páginas, acompanhado de cerca de 1.000 outras

páginas de testemunhos e estudos, publicado a 10 de outubro, a USADA acusa

Armstrong de ter montado "o programa de doping mais sofisticado da história

do desporto".  

  

Os testemunhos de 11 dos seus antigos companheiros apontam para o recurso

sistemático a eritropoietina (EPO), transfusões sanguíneas e testosterona. 

Vitórias na Volta a França poderão ser reatribuídas

A União Ciclista Internacional (UCI) vai decidir na próxima sexta-feira se as vitórias na Volta a França entre 1999 e 2005 serão reatribuídas.  

  

"Vamos ter uma reunião especial na sexta-feira. Cabe à direção da UCI

decidir essse tipo de coisas", declarou Par McQuaid, durante uma conferência

de imprensa, em Genebra.  

  

A direção do Tour, pela voz de Chistian Prudhomme, já tinha manifestado

o desejo de não entregar os títulos a qualquer outro corredor, caso a UCI

aceitasse as sanções impostas pela Agência Antidoping dos Estados Unidos

(USADA) a Lance Armstrong.  

  

Nessa mesma reunião, a UCI vai decidir se a medalha de bronze conquistada

por Armstrong no contrarrelógio dos Jogos Olímpicos de Sydney2000 lhe deve

ser retirada.