Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

F1-GP da Malásia: Domínio de Lewis Hamilton

  • 333

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) dominou a qualificação para o GP da Malásia, sendo o único a chegar ao segundo 32

O inglês, que alcançou a 57.ª “pole position” da sua carreira e vai partir pela 100.ª vez da primeira linha da gelha, esteve sempre no topo da tabela de tempos, confirmando o que havia feito na véspera no segundo treino livre. Quando foi informado que o seu colega de equipa, o alemão Nico Rosberg, não conseguia colocar em causa a sua posição, optou por suspender a segunda tentativa.

Nico Rosberg, que defende no traçado de Sepang o comando do campeonato, teve uma qualificação difícil, e na primeira tentativa não conseguiu melhor que o quinto tempo, o que o obrigou a uma segunda saída para a pista para tentar suplantar aqueles que o antecediam.

Isso sucedeu, mas teve de contentar-se com a segunda posição, o que o coloca na primeira linha e posição para discutir a vitória.

Curiosamente, as quatro primeiras linhas da grelha são ocupadas por carros de quatro marcas: os Red Bull dividem a segunda linha, os Ferrari a terceira e os Force Índia a quarta, numa clara hierarquização do momento atual da F1.

O inglês Jenson Button (McLaren/Honda) colocou um dos McLaren na Q3 e classificou-se à frente do brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes), que vai alinha no seu 300.º Grande Prémio.

Em contrapartida, o segundo homem da McLaren, o espanhol Fernando Alonso, largará da derradeira posição da grelha, por ter sido penalizado com 45 posições, uma vez que trocou a unidade motriz antes da prova malaia.

Grelha de partida oficiosa:

1.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), 1’32,850”; Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), 1’33’264”; 2.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB12/TAG-Heuer), 1’33,420”; Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), 1’33,467”; 3.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrari), 1’33,584”; Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), 1’33,632”; 4.ª linha: Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), 1’34,319”; Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), 1’34,489”; 5.ª linha: Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), 1’34,671”; Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), 1’34,671”; 6.ª linha: Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), 1’34,577”; Romain Grosjean (Haas VF16-Ferrari), 1’35,001”; 7.ª linha: Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), 1’35,097”; Kevin Magnussen (Renault RS16/Renault), 1’35,277”; 8.ª linha: Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11/Ferrari), 1’35,369”; Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), 1.35,374”; 9.ª linha: Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), 1’35,916”; Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), 1’35,949”; 10.ª linha: Jolyon Palmer (Renault RS16/Renault), 1’35,999”; Esteban Ocon (Manor MRT05/Mercedes), 1’36,451”; 11.ª linha: Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), 1’36,567”; Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), 1’37,155”

Classificações dos Mundiais, antes da prova malaia:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 273 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 265; 3.º, Daniel Ricciardo, 179; 4.º, Sebastian Vettel, 153; 5.º, Kimi Raikkonen, 148; 6.º, Max Verstappen, 129; 7.º, Valtteri Bottas, 70; 8.º, Sergio Perez, 66; 9.º, Nico Hulkenberg, 46; 10.º, Felipe Massa, 41; 11.º, Fernando Alonso, 36; 12.º, Carlos Sainz, 30; 13.º, Romain Grosjean, 28; 14.º, Daniil Kvyat, 25; 15.º, Jenson Button, 17, 16.º, Kevin Magnussen, 7; 17.º, Stoffel Vandoorne, Pascal Wehrlein, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 538 pontos; 2.º, Infiniti Red Bull Racing, 316; 3.º, Scuderia Ferrari, 301; 4.º, Sahara Force Índia F1 Team, 112; 5.º, Williams Martini Racing, 111; 6.º, McLaren/Honda, 54; 7.º, Scuderia Toro Rosso, 47; 7; 8.º, Haas F1 Team, 28; 9.º, Renault Sport F1 Team, 7; 10.º, Manor Racing MRT, 1.

Calendário de 2017

Foi divulgado o calendário do “Mundial” de 2017, que mantêm as 21 provas efectuadas este ano, mas fala-se que, em 2018, esse número poderá subir, uma vez que os novos responsáveis pela disciplina, os norte-americanos da Liberty Media, querem aumentar o número de provas, em particular na Europa e nos Estados Unidos, em lugar de continuarem a aposta nos países do Médio Oriente.

Isso faz com que a França e San Marino possam vir a regressar ao calendário, ao mesmo tempo que volta a ser levantada a hipótese de uma corrida em New York, mas falando-se também das hipóteses de Los Angeles e Miami.

Um assunto a seguir com atenção ao longo do próximo ano. E aqui está o calendário da F1 para o próximo ano:

DATA

PAIS

CIRCUITO

26 de Março

Austrália

Melbourne

9 de Abril

China

Shanghai

16 de Abril

Bahrain

Sakhir

30 de Abril

Russia

Sochi

14 de Maio

Espanha

Barcelona

28 de Maio

Mónaco

Monte Carlo

11 de Junho

Canadá

Montreal

18 de Junho

Europa

Baku

2 de Julho

Austria

Red Bull Ring

9 de Julho

Grã-Bretanha

Silverstone

23 de Julho

Hungria

Hungaroring

30 de Julho

Alemanha

Hockenheim

27 de Agosto

Bélgica

Spa-Francorchamps

3 de Setembro

Itália

Monza

17 de Setembro

Malásia

Sepang

1 de Outubro

Singapura

Marina Bay

8 de Outubro

Japão

Suzuka

22 de Outubro

EUA

Austin

5 de Novembro

México

México City

12 de Novembro

Brasil

Interlagos

26 de Novembro

Abu Dhabi

Yas Marina