Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Detido pugilista da Namíbia em segundo caso de assédio sexual na vila olímpica

  • 333

PEDRO UGARTE/GETTY IMAGES

O atleta terá agarrado e tentado beijar uma empregada, a quem também ofereceu dinheiro em troca de sexo

O pugilista Jonas Junias, da Namíbia, foi preso por suspeita de ofensas sexuais a uma empregada num dos complexos da Aldeia Olímpica no Rio de Janeiro. O atleta de 22 anos, que foi o porta-bandeira da comitiva do seu país na cerimónia de abertura dos Jogos, terá agarrado e tentado beijar a empregada, a quem também ofereceu dinheiro em troca de sexo.

Após a denúncia da mulher, o caso foi dado a conhecer pela Polícia Civil esta segunda-feira e acontece menos de uma semana após outro pugilista, o marroquino Hassan Saada, ter sido preso por suspeita do mesmo crime.

Acusado de estupro – crime considerado pela lei brasileira sempre que alguém force a vítima a praticar ato libidinoso ou a obrigue a qualquer ato com sentido sexual, sem consentimento –, Jonas Junias ficará fora da competição, a menos que consiga um "habeas corpus".

Acusado de estupro Jonas Junias ficará fora da competição, a menos que consiga um "habeas corpus"

Acusado de estupro Jonas Junias ficará fora da competição, a menos que consiga um "habeas corpus"

Alex Livesey / Getty Images