Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Personalidade e superação: grande estreia de Portugal nos Jogos Olímpicos

  • 333

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Seleção de futebol bateu o vicecampeão olímpico no primeiro jogo do torneio de futebol do Rio 2016, ficando com o caminho aberto para os quartos de final da competição. Foi a estreia de uma equipa portuguesa nesta edição dos Jogos Olímpicos

Um golo de Gonçalo Paciência e outro de Pité permitiram a Portugal entrar quinta-feira de forma categórica no torneio olímpico de futebol Rio 2016, com um triunfo por 2-0 sobre a Argentina, campeã em 2004 e 2008. Depois das dificuldades na formação da equipa, a seleção orientada por Rui Jorge exibiu personalidade e superação.

A formação das 'quinas', muito apoiada pelo público brasileiro, mais parecendo estar a jogar em casa, venceu com dois golos de fora da área, o primeiro de Gonçalo Paciência, aos 66 minutos, e o segundo de Pité, aos 84, com a ajuda de um grande 'frango' do guarda-redes Geronimo Rulli.

O encontro foi quase sempre pautado pelo equilíbrio, mas a maior eficácia da formação comandada por Rui Jorge fez toda a diferença, encaminhando o país campeão da Europa de futebol para os quartos de final do torneio olímpico.

Após a primeira ronda, a seleção lusa de futebol, que abriu a participação lusa no Rio2016, já é líder, com os mesmos pontos das Honduras (3-2 à Argélia), o seu próximo adversário, num embate marcado para domingo.

Portugal entrou com Bruno Varela na baliza, uma defesa com Fernando Fonseca, Edgar Iê, Tobias Figueiredo e Ricardo Esgaio, um meio-campo com Tomás Podstawski, como 'trinco', André Martins, Sérgio Oliveira e Bruno Fernandes, este nas costas dos avançados Salvador Agra e Gonçalo Paciência.

Com o apoio 'esmagador' dos brasileiros, que nem precisaram de um minuto para começar a gritar 'olés' às trocas de bola entre os portugueses, a equipa de Rui Jorge entrou ofensiva e entusiasmada, mas sem conseguir criar perigo.

A primeira ameaça veio dos argentinos, num remate de Gomez às malhas laterais, aos 10 minutos, que teve resposta a 'triplicar' de Portugal, com tentativas de Salvador Agra, aos 14, Gonçalo Paciência, aos 23, e André Martins, aos 24.

Nos últimos 20 minutos da primeira parte, passou a Argentina a ser mais perigosa, valendo à equipa lusa um corte precioso de Edgar Ié (27 minutos), após desvio de Correa, e os remates a rasar os postes de Cuesta (35) e Gomez (36).

A segunda parte começou, praticamente, com um grande oportunidade da Argentina, aos 48 minutos: Gomez isolou Calleri, que correu para a baliza lusa e, à saída de Bruno Varela, fez um 'chapéu' que embateu na barra.

Portugal ripostou de imediato, com Bruno Fernandes e Gonçalo Paciência a chegarem ligeiramente tarde a centros perigosos e Sérgio Oliveira a acertar na barreira um livre nas imediações da área argentina.

Depois de três ameaças, os comandados de Rui Jorge adiantaram-se no marcador, aos 66 minutos, com Gonçalo Paciência a dominar à entrada da área e a colocar a bola junto ao ângulo inferior esquerdo da baliza de Rulli.

Em desvantagem, a Argentina arriscou tudo e o jogo abriu, com Portugal a estar perto do segundo, por Bruno Fernandes, aos 69 minutos, e Salvador Agra, aos 74, mas também de sofrer a igualdade, por Correa, aos 68, e Pavon, aos 74 e 79.

Depois de já ter lançado Pité e Tiago Silva, Rui Jorge defendeu-se com Tiago Ilori, tirando Gonçalo Paciência, e o central fez um corte determinante aos 82 minutos, algo que viria a repetir nos descontos, aos 90+2.

Antes, aos 84 minutos, Pité acreditou e rematou de pé esquerdo ainda longe da área, Rulli fez-se mal à bola e esta entrou-lhe por entre as pernas, na jogada que 'acabou' com o jogo. Segue-se as Honduras e Portugal já 'vê' os 'quartos'.

  • Contra que Argentina vai jogar Portugal?

    A seleção argentina é o primeiro adversário de Portugal. Em comum: as negas dos clubes em libertar os jogadores. A diferença: o campo de recrutamento argentino é muito maior que o português. O Expresso fez uma análise ao selecionado argentino e acha que não há razão para ter medo