Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Um por um, os 18 convocados por este senhor

  • 333

Matej Divizna

Convocar 18 jogadores para estes Jogos Olímpicos foi um filme “surreal” no qual Rui Jorge não gostaria de ter participado. Mas o que lá vai, lá vai, e estes são os homens que o selecionador tem à sua disposição no Rio de Janeiro. O primeiro jogo é já esta quinta-feira, às 22h, contra a Argentina (RTP)

Guarda-Redes

Bruno Varela, 21 anos (Vitória de Setúbal)
Assinou contrato com o Vitória de Setúbal este ano depois de se ter desvinculado do Benfica onde jogou desde o 12 anos e pelo qual ganhou uma Taça de Portugal. Tem sido uma habitual presença na seleção nacional ao longo da sua formação.

Joel Pereira, 20 anos (Manchester United)
Filho de emigrantes portugueses na Suíça onde nasceu e começou a sua formação, no Neuchâtel Xamax. Aos 16 anos mudou-se para o colosso Manchester United com quem ainda tem contrato. Na época passada jogou por empréstimo no Rochdale, equipa do terceiro escalão inglês.

Defesas

Ricardo Esgaio, 23 anos (Sporting)
Está no Sporting desde os 13 anos, onde foi campeão nacional de iniciados e juniores. A nível profissional conta com uma Taça de Portugal. Tem sido uma presença habitual nas convocatórias da seleção nacional ao longo da sua formação. É um polivalente por excelência: apesar de jogar preferencialmente a defesa direito, é também competente a fazer o papel de extremo e consta que J.J. também vê nele um médio centro.

Edgar Ié, 22 anos (Villarreal)
Mudou-se da Guiné Bissau para Portugal em 2007 para jogar no Oeiras, onde esteve uma época. O Sporting foi o passo seguinte. Esteve cinco anos na Academia de Alcochete e mudou-se para La Masía, a academia do Barcelona. Como profissional tem no currículo uma Taça do Rei de Espanha e joga há uma época no Villarreal. É defesa central, mas a sua versatilidade permite-lhe desempenhar outras funções no setor mais recuado.

Tobias Figuiredo, 22 anos (Nacional da Madeira)
No Sporting desde os 11 anos. Uma das maiores promessas do clube de Alvalade. Vai iniciar este ano um novo desafio, mudou-se para a Madeira para poder ter mais minutos. Grande experiência a nível de seleções e como profissional conquistou já uma Taça de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira ao serviço do Sporting. É defesa central, forte no jogo aéreo e no um contra um.

Tiago Ilori, 23 anos (Liverpool)
Aos 23 anos conta já no seu currículo com passagens por diversos clubes: Sporting, Granada, Bordéus, Aston Villa e Liverpool. Deixou Alvalade em 2013 e mudou-se para o Liverpool onde tem tido dificuldade em se impor. Recorrentes empréstimos têm sido a solução encontrada para a carreira de um defesa central que tem na velocidade, no bom posicionamento e na apurada técnica o seu cartão de visita.

Paulo Henrique, 19 anos (Paços de Ferreira)
O açoriano deixou o Santa Clara, onde fez grande parte da sua formação, para se juntar ao Paços na época passada. Foi pouco utilizado e conta com poucas internacionalizações. Saberá certamente que a sua chamada se dá às especificidades já bastante faladas desta convocatória. Joga como defesa esquerdo.

Fernando Fonseca, 19 anos (FC Porto)
Este defesa direito, promovido este ano à equipa B do FC Porto é, a par do seu colega de setor Paulo Henrique, um dos jogadores olímpicos com menos jogos pela seleção nacional. Não é primeira nem segunda escolha mas isso pouco importará ao jovem que poderá ter uma oportunidade de se mostrar.

Médios

Tomás Podstawski, 21 anos (FC Porto)
O campeão da 2ª Liga pelo FC Porto B é um jovem que está habituado a estas andanças. Várias vezes capitão dos diversos escalões da seleção, é seguramente uma das primeiras escolhas de Rui Jorge para o onze - e deverá ser ele o dono da posição mais recuada do meio campo.

André Martins, 26 anos (sem clube)
Um dos três jogadores com mais de 23 anos, André Martins é uma das surpresas desta convocatória. Não pelo seu valor mas pelos poucos minutos que tem nas últimas épocas. Perdeu espaço desde a chegada de Jorge Jesus ao Sporting e viu o seu contrato chegar ao fim sem que tenha sido renovado. É um médio centro que cumpre. Foi, em tempos, visto como o sucessor de Moutinho em Alvalade pelo seu estilo de jogo, mas nunca chegou ao mesmo patamar do atual campeão europeu.

Sérgio Oliveira, 24 anos (FC Porto)
Outro dos jogadores com mais de 23 anos, Sérgio Oliveira fez formação no FC Porto. Chegou a ser titular da equipa no ano passado com José Peseiro, mas a sua libertação do clube para estar presente nos Jogos Olímpicos é vista como uma mensagem de que não terá lugar no plantel de Nuno Espírito Santo para a época que se avizinha. Médio centro com grande qualidade de passe e um forte remate.

Bruno Fernandes, 21 anos (Udinese)
É um daqueles casos curiosos de jogadores jovens que partem para outros campeonatos europeus sem nunca se terem dado a conhecer em Portugal. E com sucesso. Depois de duas épocas no Novara de Itália, foi contratado pela Udinese onde se tem revelado um excelente médio. Alia a raça à técnica. Assiste e marca golos, tanto em remates fora da área como em chegadas mais próximas às balizas adversárias. A ter em atenção.

Tiago Silva, 23 anos (Feirense)
Emprestado este ano pelo Belenenses ao clube de Santa Maria da Feira, Tiago Silva passou pela escola do Benfica seguindo depois para o Belenenses, ainda júnior. É um médio ofensivo de técnica muito apurada e de remate bastante fácil; é muito bom na marcação de livres. Foi utilizado na última época como arma secreta, uma vez que tem grande capacidade de improvisação e pode ser o terror de defesas desgastadas.

Francisco Ramos, 21 anos (Chaves)
Tem a escola do Varzim que tantos produtos tem dado ao FC Porto ao longo dos anos. Mudou-se ainda muito novo para os azuis e brancos onde ganhou o estatuto de capitão e é outro dos campeões da 2.ª Liga com o FC Porto B. Foi emprestado este ano ao recém-promovido Chaves onde terá os minutos que precisa para se habituar à 1ª Liga. É um médio centro com boa visão de jogo e bom passe, raçudo e de grande intensidade. Um jogador à imagem de outros que começaram no Varzim e se mudaram para o FC Porto, por exemplo, André, Rui Barros e Bruno Alves só para lembrar alguns.

Pité, 21 anos (Tondela)
Outro campeão da 2ª Liga ao serviço do FC Porto B. Formado no Beira-Mar chegou ao FC Porto já como sénior. Ganhará experiência na primeira liga este ano com o empréstimo ao Tondela. Joga do lado esquerdo, seja a extremo, a médio ou até mesmo a defesa. Pité sabe que não é primeira escolha, foi chamado já o estágio estava em andamento para substituir Nuno Santos. O jovem jogador espera fazer o seu primeiro jogo com a camisola da seleção nos Jogos Olímpicos.

Avançados

Salvador Agra, 24 anos (Nacional da Madeira)
O terceiro jogador desta lista que tem mais de 23 anos - e, consequentemente, é um dos mais experientes. Também com escola em Varzim, Salvador conta já com passagens em clubes como o Siena, de Itália, o Bétis, de Espanha, e em Portugal esteve ao serviço do Braga, Olhanense, Académica e Nacional. É um extremo puro, com um centro de gravidade bastante baixo, de drible fácil e movimentos rápidos. Num dia bom, pode ser um jogador muito valioso. Será provavelmete titular caso as lesões não o apoquentem.

Carlos Mané, 22 anos (Sporting)
Desde os oito anos na Academia de Alcochete, não conheceu, até hoje, outro clube que não o Sporting. Aos 22 anos, vai iniciar a sua quarta época ao serviço dos leões. É um avançado que pode fazer todas as posições lá na frente e a velocidade e o drible são os seus pontos fortes. Tem de melhorar na finalização.

Gonçalo Paciência, 21 anos (FC Porto)
Filho de Domingos, um grande avançado do futebol português, Gonçalo tenta construir a sua própria história. Mais alto e possante do que o pai, possui, no entanto, alguma da facilidade de processos dentro da área que caraterizava o mais velho dos Paciência. Espera-se que seja novamente emprestado depois de na última época ter rodado na Académica. Estes Jogos Olímpicos podem ser uma montra.

O selecionador

Rui Jorge, 43 anos
Iniciou a sua carreira de treinador nos juniores do Belenenses em 2006 onde ficou até 2010. Pelo meio foi líder interino da equipa pricipal depois do afastamento de Jaime Pacheco, decorria a época de 2008-09. O seu trabalho à frente dos jovens do Restelo foi reconhecido pela Federação Portuguesa de Futebol que lhe ofereceu o lugar de selecionador nacional dos sub-21. Em 2015 conseguiu uma qualificação perfeita para o europeu da categoria com oito vitórias em outros tantos jogos, 22 golos marcados e apenas oito sofridos na fase de grupos. Seguiu-se um playoff com a seleção holandesa em que Portugal mostrou ser superior e garantiu a qualificação (2-0 e 5-4).

No Europeu, organizado na República Checa, Rui Jorge orientou a seleção até à final para perder o título para a Suécia nas grandes penalidades. A seleção sub-21 tem já lugar garantido no próximo europeu da categoria na Polónia em 2017 depois de mais uma caminhada perfeita liderada por Rui Jorge: seis jogos, seis vitórias, 23 golos marcados e só um sofrido.

Espera-se que consiga algo histórico nestes Jogos Olímpicos. A loucura que foi a convocação para a competição, esse, já está na história - e não pelos melhores motivos.