Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Segundo triunfo seguido de Lewis Hamilton

  • 333

Mark Thompson/Getty Images

Embalado pelo triunfo nas ruas de Monte Carlo, onde um erro da Red Bull lhe “ofereceu” o triunfo, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) venceu o GP do Canadá, ao aproveitar um erro da Ferrari

Como consequência do seu triunfo e do quinto lugar do seu colega de equipa e comandante do campeonato, o alemão Nico Rosber (Mercedes), o inglês reduziu para nove pontos o atraso pontual para o primeiro lugar, que podia ser seu se o alemão não tivesse conseguido manter o motor a funcionar, quando quase fez um pião à entrada da derradeira volta.

Quando tentava ultrapassar o holandês Mas Verstappen (Red Bull/Renault) e chegar ao quarto lugar para perder menos pontos que Lewis Hamilton, Nico Rosberg “perdeu” o controlo do carro. Esteve em risco de ser forçado a desistir, mas conseguiu segurar o quinto lugar e minimizar os “estragos” pontuais.

A corrida começou com um arranque “canhão”, do alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que o catapultou da terceira posição da grelha para o comando da corrida, à frente de Lewis Hamilton, depois deste ter dado “um chega para lá” em Nico Rosberg, com quem dividia a primeira linha da grelha.

O piloto da Ferrari ganhou algum terreno ao seu adversário. Mas ao parar na 12.ª volta para trocar pneus, o que o obrigaria a uma segunda paragem, perdeu o primeiro lugar para Lewis Hamilton, recuperado quando o inglês parou (25.ª vola) para montar pneus macios, que duraram 45 voltas. Sebastian Vettel voltava a parar à 38ª volta e não conseguiria chegar ao primeiro lugar.

Estando na frente, a Ferrari, para vencer, só tinha que fazer “marcação” à Mercedes e seguir a táctica do seu adversário, porque isso lhe permitia manter-se no comando da corrida e “poupar” uma paragem (embora seja evidente que os Mercedes “tratam” melhor os pneus do que os seus adversários).

Sem que se desse muito por ele e ao aproveitar os erros “tácticos” dos seus adversários, o finlandês Valtteri Bottas (Williams/Mercedes) completou o pódio, o primeiro da equipa esta temporada. Atrás de si, Max Verstappen e Nico Rosberg lutavam pelo quarto lugar, que acabaria nas mãos do holandês, em consequência do excesso do alemão, que já tinha por duas vezes tentado, naquele lugar, consumar a ultrapassagem, com o piloto da Red Bulla defender-se de forma impecável das duas vezes.

E foi numa desesperada tentativa de “tudo ou nada” que Nico Rosberg comprometeu as suas aspirações.

Intenso, pelo sexto lugar, foi, também, a luta travada entre o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) e o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer), que viu a sua prova, uma vez mais e a exemplo do que sucedera em Monte Carlo, “estragada”, por um mau trabalho da equipa na troca de oneus.

Classificações na prova

Classificação – 1.º, Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), 78 voltas (260,286 km), em 1.59’29,133” (130,703 km/h); 2.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 5,011”; 3.º, Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 41,411”; 4.º, Max Verstappen (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 53,020”; 5.º, Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), a 1’02,093”; 6.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 1’03,017”; 7.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 1’03,634””; 8.º, Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), a 1 volta; 9.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 10.º, Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), a 1 volta; 11.º, Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 12.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 13.º, Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), a 2 voltas; 14.º, Romain Grosjean (Haas VF16/Ferrari), a 2 voltas; 15.º, Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), a 2 voltas; 16.º, Kevin Magnussen (Renault RS16/Renault), a 2 voltas; 17.º, Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), a 2 voltas; 18.º, Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 2 voltas; 19.º Rio Haryanto (Manor MRT05/Mercedes), a 2 voltas.

Classificações dos Mundiais, depois da prova canadiana:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 116 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 107; 3.º, Sebastian Vettel, 78; 4.º, Daniel Ricciardo, 72; 5.º, Kimi Raikkonen, 69; 6.º, Max Verstappen, 50; 7.º, Valtteri Bottas, 44; 8.º, Felipe Massa, 37; 9.º, Sergio Perez, 24; 10.º, Daniil Kvyat, Romain Grosjean, 22; 12.º, Fernando Alonso, Nico Hulkenberg, Carlos Sainz, 18; 15.º, Kevin Magnussen, 6; 16.º, Jenson Button, 5, 17.º, Stoffel Vandoorne, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 223 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 147; 3.º, Infiniti Red Bull Racing, 130; 4.º, Williams Martini Racing, 81; 5.º, Sahara Force India F1 Team, 42; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 32; 7.º, McLaren Honda, 24; 8.º, Haas F1 Team, 22; 9.º, Renault Sport F1 Team, 6

Próxima prova – GP da Europa, no Circuito de Baku (Azerbeijão), dia 19 de Junho