Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Rali de Itália. Thierry Neuville perto da segunda vitória

  • 333

NIKOS MITSOURAS / EPA

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20 WRC) está perto de vencer, pela segunda vez, uma prova do WRC (Campeonato do Mundo de Ralis)

Tendo partido com uma vantagem de 11,1” sobre o finlandês Jari-Matti Latvala (VW Polo R WRC), o belga Thierry Neuville viu o seu adversário reduzir a desvantagem para 2,9”, no final da primeira volta pelas três especiais do dia, mas na segunda passagem o piloto da Hyundai forçou o andamento e colocou a sua vantagem em 16,1”, diferença de tempo que vai ter de defender, no domingo, nas derradeiras quatro especiais.

Para o belga, "o carro está fantástico e tem sido muito divertido guiá-lo, além de que tenho tido uma enorme satisfação na luta com o Jari-Matti". Já o finlandês confessava: "Não posso fazer melhor, mas o Thierry está a fazer uma prova fantástica e a luta vai continuar amanhã".

O terceiro é o campeão do mundo, o francês Sébastien Ogier (VW Polo R WRC), mas está já a mais um minuto do comandante e, como tal, as suas aspirações à vitória parecem muito remotas.

O espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 WRC) ascendeu ao quarto lugar, ao beneficiar dos abandonos dos noruegueses Andreas Mikkelsen (VW Polo R WRC), que saiu da estrada, e de Mads Ostberg (Ford Fiesta RS WRC), que ficou parado na derradeira especial do dia, e a sua posição parece garantida face às diferenças de tempo para quem o antecede e para quem o persegue.

Como consequência do abandono do piloto da Ford, o estónio Ott Tanak (Ford Fiesta RS WRC) passou a ser o melhor homem da Ford e está numa posição semelhante à de Dani Sordo.

Em relação à categoria RC2, como consequência do facto de na primeira passagem por Monte Lerno (44,26 km) terem perdido tempo, será o Colégio de Comissários a decidir o tempo a atribuir aos que forem considerados prejudicados.

Tudo isto em consequência do despiste de Lorenzo Bertelli (Ford Foesta RS WRC), que não levou à interrupção da especial, apesar do seu navegador Simone Scatollin necessitar de assistência.

O dia ficou marcado pelo furo sofrido pelo Skoda Fabia R5 do italiano Umberto Scandola, logo na primeira especial do dia, o que permitiu ao finlandês Esapekka Lappi (Skoda Fabia R5) ascender ao comando. No entanto, o finlandês abandonou na primeira passagem por Monte Lerno e o estónio Karl Kruuda (Ford Fiesta R5) ficou no primeiro lugar, posição que manterá, provisoriamente, até à decisão do Colégio de Comissários.

O rali termina no domingo, com uma dupla passagem por duas especiais, que totalizam 60,26 km, e que irão definir o vencedor da edição deste ano do Rali de Itália, com Thierry Neuville e Jair-Matti Latvala a decidirem a vitória, uma vez que o atraso de Sébastien Ogier o deixa, à partida, fora da luta pelo triunfo.

Classificação geral no final da 2.ª etapa

1.º, Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai i20 WRC), 3.07’35,2”; 2.º, Jari-Matti Latvala/Mikka Antilla (VW Polo R WRC), a 16,1”; 3.º, Sébastien Ogier/Julian Ingrassia (VW Polo R WRC), a 1’15,0”; 4.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai i20 WRC), a 2’19,2”; 5.º, Ott Tanak/Raigo Molder (Ford Fiesta RS WRC), a 4’50,6”; 6.º, Henning Solberg/Ilka Minor (Ford Fiesta RS WRC), a 5’32,4”; 7.º, Eric Camilli/Benjamin Veillas (Ford Fiesta RS WRC), a 5’38,5”; 8.º, Karl Kruuda/Mikko Markkula (Ford Fiesta R5), a 11’35,3”; 9.º, Martin Prokop/Jan Tomanek (Ford Fiesta RS WRC), a 12’33,1”; 10.º, Jan Kopecky/Pavel Dresler (Skoda Fabia R5), a 13’31,6”