Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

FC Porto confirma Nuno Espírito Santo

  • 333

JOSE JORDAN / Getty Images

Antigo guarda-redes portista regressa ao Dragão para treinar a equipa de futebol nas próximas duas épocas

Um comunicado do FC Porto enviado para a Comissão de Mercado de Valores Mobiliários acabou esta tarde com as dúvidas: Nuno Espírito Santo vai ser treinador do FC Porto nas duas próximas épocas, sucedendo a José Peseiro, que vínculo laboral havia sido desfeito esta segunda-feira.

Pouco depois da divulgação da nota no site da CMVM, pelas 19h, o presidente portista Jorge Nuno Pinto da Costa chamou os jornalistas ao estádio do Dragão e apresentou o novo técnico, garantindo ter sido o único profissional a ser contactado pela SAD desde que foi tomada a decisão de rescindir com Peseiro.

“Todos nós dizemos somos Porto com muito orgulho. Não adianta perderem tempo a tentarem dividir-nos e fragilizar-nos. Nuno é um prazer enorme, desejo-te as maiores felicidades”, disse Pinto da Costa, quando apresentou o antigo guarda-redes do clube, esta quarta-feira no Estádio do Dragão.

Visivelmente emocionado, o novo treinador do FC Porto definiu o momento como “uma grande emoção, enorme prazer e honra”. Não fez promessas, mas deu “garantias” à “nação portista”: “Tenho uma convicção absoluta de que podemos ganhar sempre”.

“Sinto que volto a casa. E voltar a casa para vencer é, sem dúvida, o meu destino. E sabe muito melhor ganhar no FC Porto”, disse. “Ser Porto é ganhar. Não é uma outra coisa senão sair do estádio com a convição que fizemos tudo e que ganhámos”, acrescentou.

É preciso unir o FC Porto, defendeu Espírito Santo, e para isso é preciso “compromisso, cooperação e comunicação”. Admitiu que tem que se acabar “com o clima de apreensão existente” e, para tal, é necessário otimismo. Disse ter “um conhecimento profundo do plantel” e assegura que “nenhum jogador” dará menos que o seu melhor em campo.

Já quase no final da apresentação, Pinto da Costa foi questionado sobre as declarações de Luís Figo, em que este defendeu que estava na hora do líder portista sair do clube. O presidente não quis responder, argumentando que “esse senhor não faz parte nem está nas páginas da história do FC Porto”.