Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

GP Mónaco: Finalmente Lewis Hamilton

  • 333

VALDRIN XHEMAJ/EPA

Foi preciso a F1 chegar às ruas de Monte Carlo para o inglês Lewis Hamilton vencer pela primeira vez esta temporada

Face às más condições atmosféricas que se faziam sentir no Principado, a corrida começou com o pelotão atrás do “safety car”, que quando saiu da pista, na oitava volta, deixou o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer) na frente. Ricciardo tinha largado pela primeira vez da “pole position”, com o alemão Nico Rosberg (Mercedes) a “travar” o seu colega de equipa, o inglês Lewis Hamilton.

Consciente do que estava a acontecer no asfalto molhado das ruas de Monte Carlo, a equipa ordenou aos seus pilotos que invertessem as posições, com o inglês a lançar-se na perseguição do australiano.

Tudo se decidiu quando os pilotos optaram por trocar os pneus de chuva pelos “slicks”, com a Red Bull a cometer o erro de chamar Daniel Ricciardo sem os mecânicos estarem prontos para proceder à mudança de pneus. Enquanto isso, Lewis Hamilton resistia o mais que podia com pneus de chuva, sabendo que, com o erro da Red Bull, podia ir até ao final da corrida e vencer, como acabou por acontecer.

O mexicano Sergio Perez (Force India/Mercedes) assegurou o derradeiro lugar do pódio, depois de ter largado de sétimo, graças ao facto de ter arriscado e de ter sido também o primeiro a montar pneus “slicks”. Atrás de si, ficaram o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e o espanhol Fernando Alonso (McLaren/Honda), que conquistou o melhor resultado do ano para a equipa dirigida por Ron Dennis.

A exemplo do que sucedeu nos treinos, o holandês Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer) voltou a bater na zona da piscina, depois de ter passado da última posição aos lugares pontuáveis.

O alemão Nico Hulkenberg (Force India/Mercedes) completou o bom fim de semana da equipa ao assegurar o sexto lugar, nos últimos metros, depois de ter ultrapassado o comandante do campeonato, o alemão Nico Rosberg, que teve uma prova para esquecer.

Classificação – 1.º, Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), 78 voltas (260,286 km), em 1.59’29,133” (130,703 km/h); 2.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 7,252”; 3.º, Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), a 13,825”; 4.º, Sebastian Vettel (Ferrar SF16-H/Ferrari), a 15,846”; 5.º, Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), a 1’25,076”; 6.º, Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), a 1’32,999; 7.º, Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), a 1’33,290; 8.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 9.º, Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 10.º, Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 1 volta; 11.º, Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), a 1 volta; 12.º, Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 1 volta; 13.º, Romain Grosjean (Haas VF16/Ferrari), a 2 voltas, 14.º, Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), a 2 voltas; 15.º Rio Haryanto (Manor MRT05/Mercedes), a 4 voltas.

Classificações dos Mundiais, depois da prova espanhola:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 106 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 82; 3.º, Daniel Ricciardo, 66; 4.º, Kimi Raikkonen, 61; 5.º, Sebastian Vettel, 60; 6.º, Max Verstappen, 38; 7.º, Felipe Massa, 37; 8.º, Valtteri Bottas, 29; 9.º, Sergio Perez, 23; 10.º, Daniil Kvyat, Romain Grosjean, 22; 12.º, Fernando Alonso, 18; 13.º, Carlos Sainz, 16; 14.º, Nico Hulkenberg, 14; 15.º, Kevin Magnussen, 6; 16.º, Jenson Button, 5, 17.º, Stoffel Vandoorne, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 188 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 121; 3.º, Infiniti Red Bull Racing, 112; 4.º, Williams Martini Racing, 65; 5.º, Sahara Force India F1 Team, 37; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 30; 7.º, McLaren Honda, 24; 8.º, Haas F1 Team, 22; 9.º, Renault Sport F1 Team, 6

Próxima prova – GP do Canadá, no Circuito Gilles Villeneuve, dia 12 de junho