Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Fernando Gomes, o candidato das 100 promessas

  • 333

Fernando Gomes, presidente da FPF

José Caria

Presidente da FPF apresentou esta quarta-feira a sua recandidatura ao cargo para os próximos quatro anos. Fernando Gomes avança com 100 compromissos na manga, entre os quais a implementação experimental do vídeo-árbitro, publicação dos relatórios dos árbitros e dos valores das transferências de jogadores intermediadas por empresários

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Fernando Gomes garantiu esta quarta-feira, na sede do Comité Olímpico de Portugal (COP), que o seu próximo mandato à presidência da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) será orientado por quatro pilares essenciais, que considera “verdadeiras prioridades” para o futebol português: transparência e credibilidade, crescimento e competitividade, conhecimento e formação, internacionalização e liderança.

O candidato sem oposição às eleições de junho conta com o apoio esmagador da maioria dos clubes, árbitros, associações de classe e de Pedro Proença, presidente da Liga Portugal. O Sporting e o FC Porto foram os únicos clubes profissionais que não subscreveram a lista do ex-presidente da Liga de Clubes. Pinto da Costa, crítico feroz do antigo administrador da SAD portista e ex-presidente da Liga de Clubes, acusou há um mês o líder federativo de estar na FPF a pensar na UEFA, um remoque desmentido esta semana face à recusa de Gomes em avançar para o lugar deixado vago por Platini, suspenso por seis anos do dirigismo desportivo.

Para o mandato do próximo quadriénio, que culminará após os jogos Olímpicos de 2020, Fernando Gomes apresentou esta quarta-feira um programa invulgarmente longo e ambicioso, que integra mais de 100 promessas que promete cumprir uma a uma. “O que se escreve num compromisso em tempo eleitoral é para se fazer. Hoje apresentamos mais de 100 compromissos para cumprir em quatro anos. É por eles que lutaremos, eu e a minha equipa. É por esses compromissos que trabalharemos e é com eles que procuraremos garantir o apoio e confiança dos sócios da FPF”, afirmou, referindo ter cumprido na íntegra as propostas do seu primeiro mandato, que culminou com a inauguração da Cidade do Futebol.

Além de se comprometer a rever o modelo de governação da FPF, Fernando Gomes irá propor a criação de um conselho de supervisão, formado por personalidades independentes do futebol, e assegura que irá publicitar anualmente todas as transações de jogadores negociadas por intermediários, “incluindo montantes envolvidos”.

Relatórios dos árbitros divulgados jornada a jornada

Em relação à disciplina, promete publicar todos os acórdãos processuais, enquanto o pacto na sempre escaldante arbitragem passa pela divulgação dos até agora secretos relatórios dos árbitros de todos as competições após cada jornada. Um novo modelo de observação e classificação dos árbitros estará também em marcha.

Já no jogo da Supertaça, entre Benfica e Sporting de Braga, será implementado um sistema experimental de vídeo-árbitro, que voltará a ser testado a partir dos jogos dos quartos-de-final da Taça de Portugal.

O combate à crescente viciação de resultados é outro dos compromissos em matéria de transparência e credibilidade, pretendendo Fernando Gomes organizar em Portugal uma reunião europeia de todos os ‘integrity officers’ envolvidos no complexo mundo das apostas ilegais. “Portugal não pode ser terreno fértil para aqueles que buscam rendimento ilícito no futebol”, afirmou, lembrando que recentemente a FPF agiu como denunciante de um conjunto de suspeitas de aliciamento de jogadores e manipulação de resultados, numa alusão aos casos que conduziram à detenção de jogadores da Oliveirense, Oriental e de dois dirigentes do Leixões.

O endurecimento das sanções penais “ridículas para o corruptor ativo, penalizando de forma mais violenta o atleta, o elo mais fraco da teia criminosa, é outra das suas propostas na luta anticorrupção no desporto. No pilar da competitividade fica a meta de atingir os 200 mil praticantes de futebol federados até 2020, o que a acontecer significará um aumento de 20%. Na área do conhecimento, Fernando Gomes quer avançar para a criação de uma Universidade do Futebol, em parceria com instituições do ensino superior.

Vencer pelo menos uma competição internacional e a possibilidade de organização de competições internacionais são também objetivos que figuram na lista de 100 compromissos do candidato Fernando Gomes.