Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

NOS e Vodafone acordam partilha recíproca de conteúdos desportivos

  • 333

TIAGO PETINGA / Lusa

Vodafone garante acesso aos jogos do Benfica – que são detidos pela NOS – já a partir da próxima época, independentemente do canal em que venham a ser emitidos. Acordo entre as operadoras surge numa altura em que MEO e NOS mantêm braço de ferro em torno do Porto Canal e dos conteúdos desportivos

A NOS e a Vodafone estabeleceram um acordo para garantir a disponibilização recíproca dos conteúdos desportivos nacionais e internacionais que sejam atualmente detidos, ou venham no futuro a ser comprados, por qualquer uma das operadoras.

O acordo foi divulgado esta manhã e irá vigorar "por várias épocas", refere o comunicado enviado às redações. Nesse documento, a NOS e a Vodafone especificam que o acordo "visa assegurar a ambas as empresas a disponibilização dos direitos de transmissão dos jogos em casa dos clubes, bem como dos direitos de transmissão e distribuição de canais de desporto e de canais de clubes, cujos direitos sejam detidos por cada uma das partes do acordo em cada momento".

No comunicado, a NOS e a Vodafone explicam ainda que o acordo "produzirá os seus efeitos já a partir da época desportiva 2016/17, garantindo assim que todos os clientes da NOS e da Vodafone terão acesso ao canal do Benfica e aos jogos do Benfica em casa, independentemente do canal onde estes jogos sejam transmitidos".

Além dos jogos do Benfica e do canal do clube, este acordo garantirá ainda à Vodafone, nos próximos anos, o acesso aos direitos de emissão dos jogos do Sporting e dos restantes clubes das ligas profissionais de futebol com quem a NOS fechou acordos de distribuição nos últimos meses (como o Sporting de Braga, Académica, Belenenses, Nacional, Arouca, Paços de Ferreira, Marítimo ou Vitória de Setúbal).

O acordo entre as duas operadoras prevê ainda o seu "alargamento a outros operadores de mercado". Um princípio que a NOS e a Vodafone dizem traduzir "o compromisso das duas empresas em criar um mercado aberto, onde o acesso aos conteúdos relevantes está disponível para qualquer um".

Recorde-se que este acordo entre a NOS e a Vodafone surge numa altura em que o MEO e a NOS mantêm um braço de ferro em torno da distribuição do Porto Canal: depois de ter fechado um acordo com o FC Porto para garantir os direitos de emissão dos jogos do clube em casa a partir de 2018 e os direitos de emissão do Porto Canal desde janeiro deste ano, a MEO acabou por suspender a disponibilização do canal à NOS em meados de fevereiro.

Na base dessa decisão terá estado precisamente a falta de acordo entre a MEO e a NOS em relação à forma como seriam partilhados entre as operadoras os direitos de emissão de futebol que ambas garantiram entre o final de 2015 e o início de 2016. No caso da MEO, além do FC Porto a operadora fechou ainda acordos com clubes como o Rio Ave, Vitória de Guimarães ou Boavista.

No comunicado divulgado esta manhã a propósito do acordo com a Vodafone, o CEO da NOS Miguel Almeida defende que “este acordo é um passo determinante na concretização do compromisso" que a empresa diz ter assumido "desde o primeiro momento", no sentido de "assegurar condições para que os conteúdos desportivos estejam disponíveis para todos os operadores".

Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal, defende que “este é um momento muito importante e decisivo para a Vodafone e para o mercado", na medida em que permite cumprir a promessa de levar aos seus clientes "os conteúdos que estes valorizam" e "lançar as bases para o desenvolvimento de um mercado de acesso a conteúdos que gostaríamos que fosse universal”.