Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Polícia quer investigação “urgente” ao falso alarme que impediu último jogo da Premier League

  • 333

Alex Morton/Getty images

Comissário da polícia de Manchester exige que sejam apuradas responsabilidades na ameaça de bomba que levou à evacuação do estádio Old Trafford, 20 minutos antes do jogo Manchester United-Bournemouth

A polícia de Manchester quer que seja aberto um inquérito "urgente" à falsa ameaça de bomba que, no domingo, forçou a evacuação do estádio Old Trafford e a suspensão do jogo Manchester United-Bournemouth, 20 minutos antes do início da partida, quando as duas equipas já estavam em campo.

Em declarações aos jornalistas esta segunda-feira, o comissário da polícia e autarca da cidade inglesa, Tony Lloyd, disse que o falso alarme pôs em risco os adeptos e as duas equipas e criticou as autoridades pelo "fiasco" no final da época da Liga inglesa.

Em causa esteve um dispositivo que se julgava explosivo mas que, na realidade, foi usado durante um exercício de treino de cães farejadores levado a cabo antes do jogo de futebol por uma empresa de segurança privada, avançou o comissário.

"Este fiasco causou uma inconveniência massiva para os adeptos que vieram de tão longe para assistir ao jogo e a uma perda de tempo para o elevado número de agentes da polícia e membros das brigadas de minas e armadilhas mobilizados", referiu Lloyd, sublinhando que as vidas das pessoas foram postas em risco "porque existem riscos quando se evacua dezenas de milhares de pessoas de um estádio de futebol".

Depois da evacuação dos cerca de 20 mil adeptos do estádio, o jogo foi adiado para esta terça-feira às 20h locais.