Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Vitória histórica de Max Verstappen

  • 333

Dan Istitene/Getty Images

O holandês Max Verstappen entrou na história da F1 ao tornar-se no mais jovem vencedor de um GP, de toda a história da disciplina máxima do desporto automóvel

Excelente estreia de Max Verstappen ao volante de um Red Bull, com o russo Daniil Kvyat (despromovido para a Toro Rosso) a assegurar a volta mais rápida, parecendo querer demonstrar que não ficou afetado pelo sucedido.

O GP de Espanha começou com um desentendimento inexplicável entre os dois homens da Mercedes, que partilhavam a primeira linha da grelha e que muito contribuiu para a vitória do holandês. Desde os primeiros metros que os “Mercedes boys” tinham ganho algum avanço, parecendo em condições de repetir o sucesso das quatro corridas anteriores.

O inglês Lewis Hamilton largou da “pole”, mas o alemão Nico Rosberg arrancou melhor e chegou à primeira curva na frente. O inglês tentou regressar ao primeiro lugar na curva 3, com o alemão a chegar-se para a direita, não deixando espaço ao seu colega de equipa que foi forçado a ir à relva, o que o fez perder o controlo do carro e ir embater no alemão, tendo os dois pilotos ficado de imediato fora da corrida. Esta é uma das tais situações em que dava jeito ser mosca para ouvir as conversas na habitual reunião da equipa.

Como consequência, o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer) ficou no comando à frente do futuro vencedor, e dos dois pilotos da Ferrari, com o alemão Sebastian Vettel à frente do finlandês Kimi Raikkonen.

Mas como o australiano e o alemão optaram por três paragens, contra duas do holandês e do finlandês, foram estes que discutiram a vitória, com Max Verstappen a resistir aos ataques de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel a conseguir, nas “boxes”, passar Daniel Ricciardo, que teve, ainda, de fazer mais uma paragem.

De referir que o dinamarquês Kevin Magnussen (Renault) perdeu uma posição, para o brasileiro Felipe Nasr (Sauber/Ferrari) por ter sido penalizado em 10”, ao ser considerado culpado de um “toque” no inglês Jolyon Palmer, seu companheiro de equipa