Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

GP da Austrália. Nico Rosberg (Mercedes) começa como acabou

  • 333

Alejandro Garcia/EPA

Vencedor dos três últimos Grandes Prémios da temporada anterior, o alemão Nico Rosberg (Mercedes) manteve a embalagem e ganhou o GP da Austrália, prova inaugural da temporada de 2016

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes), seu companheiro de equipa, e o seu compatriota Sebastian Vettel (Ferrari) completaram o pódio, com a “dobradinha” dos pilotos da marca alemã a ser consequência da táctica adoptada, depois de interrupção da corrida, na 17.ª volta, em consequência do acidente protagonizado pelo espanhol Fernando Alonso (McLaren/Honda) e o mexicano Esteban Gutierrez (Hass/Ferrari), quando o espanhol tentava ultrapassar o mexicano.

Face a este resultado apetece dizer que os principais candidatos ao título assumem desde já o seu papel, com ambas as equipas a mostrarem que aproveitaram bem os testes de Barcelona para se apresentarem com carros competitivos e que “poupam” os pneus, como o demonstrou a Mercedes que viu os seus pilotos completarem mais de 30 voltas, com os pneus médios.

Mais rápido a reagir à luz verde, Sebastian Vettel surpreendeu os “Mercedes boys” que partilhavam a primeira linha da grelha, com o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), que largou de quarto, a aproveitar a “boleia” para chegar ao segundo lugar, enquanto Nico Rosberg levava a melhor sobre Lewis Hamilton, que caiu para sexto, atrás do holandês Max Verstappen (Toro Rosso/Ferrari) e do brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes).

Na frente, Sebastian Vettel depressa ganhou vantagem sobre a concorrência e nem a primeira paragem para troca de pneus, em que manteve os super-macios, impediu o alemão da Ferrari de continuar na frente, enquanto o alemão da Mercedes, que optou por pneus macios, conseguia ascender ao segundo lugar, depois de ultrapassar Kimi Raikkonen.

E foi quando a corrida foi interrompida, para a pista ser limpa dos detritos deixados pelos dois carros acidentados, que tudo se decidiu.

A Mercedes optou por montar pneus médios, enquanto a Ferrari decidia manter os super-macios, o que obrigava a mais uma paragem, ficando por saber se a opção da marca alemã permitiria aos seus pilotos ir até ao fim da corrida sem nova troca.

No recomeço Sebastian Vettel afastou-se da concorrência, mas nunca conseguiu ganhar uma vantagem significativa e a Ferrari via Kimi Raikkonen entrar nas “boxes” para desistir, com o motor partido, e o alemão vir trocar os pneus super-macios pelos macios.

Com pneus novos e mais rápidos do que os utilizados pelos “William boys”, Sebastian Vettel aproximou-se de Lewis Hamilton, mas nunca esteve em

situação de desalojar o inglês do segundo lugar e perdeu todas as hipóteses de o fazer a duas voltas do fim, quando teve uma saída de pista, enquanto na frente Nico Rosberg aproveitou a luta travara atrás de si para ter um final de corrida mais tranquilo do que estaria à espera.

Destaque nesta corrida de abertura para o sexto lugar de Romain Grosjean (Haas/Ferrari), na estreia de uma equipa norte-americana, o que não sucedia há 30 anos e para o duelo travado entre os dois pilotos da Toro Rosso/Ferrari, o espanhol Carlos Sainz e o holandês Max Verstappen, com o holandês a perder a posição para o espanhol, em consequência do tempo perdido na troca de pneus, por a equipa não estar à sua espera, e a reclamar durante o resto da prova que o espanhol não o deixava passar…

A reunião no final da corrida, na “motorhome” da Toro Rosso deve ter sido digna de se ouvir…

CLASSIFICAÇÃO

1.º, Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), 57 voltas (302,271 km), em 1.48’15,565” (167,525 km/h); 2.º, Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), a 8,606”; 3.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 9,643”; 4.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 34,330”; 5.º, Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 58,979”; 6.º, Romain Grosjean (Haas VF16-Ferrari), a 1’12,081”; 7.º, Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), a 1’14,199”; 8.º, Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 1’15,153”; 9.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1’15,680”; 10.º, Max Verstappen (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1’16,833”; 11.º, Jolyon Palmer (Renault RS16/Renault), a 1’23,399”; 12.º, Kevin Magnussen (Renault RS16/Renault), a 1’25,606”; 13.º, Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), a 1’31,699”; 14.º, Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 15.º, Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), a 1volta; 16.º, Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), a 1 volta

Classificações dos Mundiais, depois da prova australiana:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 25 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 18; 3.º, Sebastian Vettel, 15; 4.º, Daniel Ricciardo, 12; 5.º, Felipe Massa, 10; 6.º, Romain Grosjean, 8; 7.º, Nico Hulkenberg, 6; 8.º, Valtteri Bottas, 4; 9.º, Carlos Sainz, 2; 10.º, Max Verstappen, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas, 43 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 15; 3.º, Williams Martini Racing, 14; 4.º, Infiniti Red Bull Racing, 12; 5.º, Haas F1 Team, 8; 6.º, Sahara Force India F1 Team, 6; 7.º, Scuderia Toro Rosso, 3.

PRÓXIMA PROVA – GP do Bahrein , no Circuito de Sakhir, dia 3 de Abril.