Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Casillas: “No tempo de Mourinho ouvi porcarias e porcarias sobre mim”

  • 333

À RTVE, o guarda-redes fala da relação que teve com o treinador português. E vai direto ao assunto: foi por causa de Mourinho que um dia decidiu sair do Real Madrid

Para quem não sabia, e eu não sabia, Bertín Osborne é uma estrela na socialite espanhola - ou melhor, é uma figuraça na socialite espanhola. Bertín tem sangue azul, é cantor, ator e apresentador. E foi na qualidade de homem da TV do programa “En la tuya o en la mía” que bateu à porta da casa de Iker Casillas e Sara Carbonero, no Porto. Bertín sentou-se no sofá com Iker, cozinhou com Iker e Sara e viu as vistas com ambos. E falou um bocadinho de tudo, sobretudo de futebol.

Iker Casillas lá contou como respondeu a um anúncio do Real Madrid na “Marca”, que procurava miúdos nascidos em 1981 para testes, da primeira vez que se sentou no banco merengue, dos dois Europeus e do Mundial conquistados - e, claro, de Mourinho.

“No último ano dele no Real Madrid [2012-13] não falámos. Nada!” Ora, como é que a relação do guarda-redes e do treinador, que segundo o primeiro até era “muito boa” na época de estreia, chegou a este ponto? Casillas conta a história.

Tudo começou na segunda temporada, quando o Barcelona de Tito Villanova começou a arrasar. Houve aquele jogo em que Mourinho pôs o dedo nos olhos de Villanova e depois disso a guerra Real Madrid-Barcelona subiu para um nível completamente diferente. Foi então que Casillas decidiu procurar Xavi e Puyol, os capitães do Barça, para lhes falar sobre isto. Segundo Iker, Mourinho sentiu-se traído.

“Mas olha, eu não fui pedir desculpa ao Xavi e ao Puyol. Eu só fui dizer-lhes que tínhamos de ter calma porque estávamos a estragar o futebol espanhol”, diz Iker a Bertín, para quem Mourinho é uma “catástrofe”. O guarda-redes recorda que havia um Europeu por disputar e ele, como capitão, não queria que tricas daquelas prejudicassem a sua seleção. “Quando és capitão, tomas decisões. E, depois, és criticado por isso. Mas voltaria a fazer o mesmo.”

A partir de então, Iker e Mourinho viraram as costas um ao outro e o titular passou para o banco de suplentes. “Nessa altura, ouvi porcarias atrás de porcarias sobre mim. Eu reconheço que errei, mas não gostei de alguns gestos de Mourinho nas conferências de imprensa.”

Foi por culpa dessa má relação com o português que Casillas decidiu ir-se de Madrid. “A minha situação no Real estava viciada. Estava na boca de otodo o mundo e acho que tomei a melhor decisão. Não me sentia bem, queria jogar e competir. O melhor era sair.”