Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Messi, Suárez e o penálti do ano

  • 333

ALBERT GEA / REUTERS

Frente ao Celta Vigo, o Barcelona beneficiou de uma grande penalidade. O marcador de serviço Messi correu para a bola mas em vez de um remate... passou o esférico para Suarez fazer o golo . As opiniões dividem-se entre um lance genial ou o desrespeito pelo adversário

Num jogo que poderia ter sido apenas mais uma das já típicas goleadas aplicadas pelos catalães no campeonato espanhol, o Barcelona voltou a marcar pela diferença. Na partida deste domingo frente ao Celta de Vigo (6-1), não é a goleada que faz manchetes mas a grande penalidade, a meias, de Messi e Suárez.

Aos 81 minutos de jogo, com o resultado em 3-1, o Bola de Ouro foi rasteirado dentro da grande área. Marcador de serviço de livres e penáltis, o argentino marcou a falta mas, ao fazê-lo, decidiu não rematar à baliza, passando a bola para o lado onde um avisado Luis Suárez completa o lance e faz golo. A jogada deixou todos surpresos, incluindo o guarda-redes do Celta de Vigo, completamente indefeso perante o lance.

Este golo permitiu ao ponta de lança utuguaio completar um hat-trick e marcar o seu 23.º golo na Liga espanhola, passando para a liderança entre os melhores marcadores. "A jogada era ensaiada mas era suposto ter sido eu a marcar", disse Neymar, o outro membro do tridente ofensivo do Barcelona.

O tema tornou-se viral nas redes sociais, entre vozes que o classificam de genial e acusações de desrespeito pelo adversário, numa altura em que o jogo estava praticamente resolvido.

O treinador do Barcelona defende os seus jogadores. "Haverá aqueles que gostam e os que não gostam. Nós não ganhamos apenas títulos, tentamos entreter as pessoas e vencer de forma espetacular", disse Luis Enrique, aproveitando para deixar um recado à imprensa espanhola que acusou Messi de arrogância. [Em Espanha] "um pontapé no adversário é mais facilmente aceite do que um lance de espetáculo".

O penálti a meias não é uma inovação – foi celebrizado pelo holandês Johan Cruyff em 1982, que marcou a passe do seu colega Olsen, do Ajax – e, segundo as regras da FIFA, é perfeitamente legal. Os regulamentos apenas ditam que o jogador "tem de pontapear a bola para a frente", não podendo tocar-lhe até outro jogador o ter feito.

Porém, nem sempre esta proeza tem sucesso. Em 2005, o avançado Robert Pires, do Arsenal, tentou recriar a jogada celebrizada por Cruyff ao assistir Thierry Henry. O resultado, como pode ver-se abaixo, fica para a História como um dos mais desastrosos penáltis de sempre.