Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sébastien Ogier soma e segue

  • 333

NACKSTRAND/AFP/Getty Images

Sem surpresa o francês Sébastien Ogier (VW Polo R WRC) venceu o Rali da Suécia, segunda prova do WRC (Campeonato do Mundo de Ralis), e contabilizou o máximo de pontos possível, ao ser o mais rápido na “Power Stage”

Marcado pela anulação de nove das 21 especiais previstas, por causa da falta de neve, a prova sueca acabou por ter lugar, graças às alterações que a organização foi fazendo - a última delas, já com a prova na estrada, quando decidiu anular três das quatro classificativas do dia (uma dupla passagem por dois troços) limitando a derradeira etapa à “Power Stage”.

Por isso não surpreendeu que nada tivesse mudado, com o campeão do mundo a conquistar a terceira vitória, segunda consecutiva, na Suécia, e a confessar-se “muito satisfeito por ter ganho de novo na Suécia. Confesso que, no principio da semana, estava preocupado, mas tenho de reconhecer que os organizadores fizeram um trabalho fantástico. Vencer os dois primeiros ralis do ano é ter um excelente começo de época, mas, ontem corri riscos e tive a sorte do meu lado”.

Com uma única especial a realizar no dia de hoje, não era crível que houvesse mudanças significativas na classificação, a menos que ocorresse um daqueles imponderáveis em que o desporto automóvel é fértil.

Recorde-se que no ano passado Sébastien Ogier perdeu a vitória no Rali de Espanha, na sequência de uma saída de estrada, quando tentava ir arrecadar os três pontos suplementares, atribuidos ao mais rápido na “Power Stage”.

O neo-zelandês Hayden Paddon (Hyundai i20 WRC) garantiu o segundo lugar, repetindo o feito alcançado na Sardenha o ano passado. Conseguiu chegar ao final do rali depois de cumprir uma longa ligação de 86 km, com o radiador danificado em consequência de um “toque” na Super Especial, com o norueguês Mads Ostberg (Ford Fiesta RS WRC) a completar o pódio, que teve três carros de marcas diferentes.

Na categoria WRC2, o inglês Elfyn Evans (Ford Fiesta R5) igualou o feito de Sébastien Ogier e venceu pela segunda vez, noutras tantas provas, esta temporada, cimentando a posição de comandante do respectivo mundial e assumindo desde já o papel de sério candidato ao respectivo título.

Classificação final:

1.º, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (VW Polo WRC), a 1.59’47,4”; 2.º, Hayden Paddon/John Kennard (Hyundai i20 WRC), a 29,8”; 3.º, Mads Ostberg/Ola Floene (Ford Fiesta RS WRC), a 55,6”; 4.º, Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger (VW Polo R WRC), a 1’10,8”; 5.º, Ott Tanak/Raigo Molder (Ford Fiesta RS WRC), a 1’50,7”; 6.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai i20 WRC), a 2’24,0”; 7.º, Henning Solberg/Ilka Minor (Ford Fiesta RS WRC), a 2’40,0”; 8.º, Craig Breen/Scott Martin (Citroen DS3 WRC), a 2.44,6”; 9.º, Elfyn Evans/Craig Parry (Ford Fiesta R5), a 5’17,0” (1.º do WRC2); 10.º, Pontus Tidemand/Jonas Andersson (Skoda Fabia R5), a 5’31,7”. Classificaram-se mais 28 equipas.

Classificação, oficiosa, dos “Mundiais”, depois da prova sueca

PILOTOS

Absoluto – 1.º, Sébastien Ogier, 56 pontos; 2.º, Andreas Mikkelsen, 33; 3.º, Mads Ostberg, 27; 4.º, Hadyen Paddon, Dani Sordo, 18; 6.º, Thierry Neuville, Ott Tanak, 16; 8.º, Stéphane Lefebvre, 10; 9.º, Henning Solberg, Elfyn Evans, 6; 11.º, Craig Breen, 4; 12.º, Esapekka Lappi, 2; 13.º, Armin Kremer, Pontus Tidemand, 1

MARCAS

ABSOLUTO – 1.º, VW Motorsport, 54 pontos; 2.º, Hyundai Motorsport, 49; 3.º, VW Motorsport II, 30; 4.º, M-Sport World Rally Team, 27; 5.º, Dmack World Rally Twam, 18; 6.º, Hyundai Motorsport N, 14; 7.º, Abu Dhabi Total World Rally Team, 4

Próxima prova – Rali Guanajuato Mexico, de 3 a 6 de Março