Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Open da Austrália. Djokovic-Federer, quinta-feira é para desempatar

  • 333

GLYN KIRK / AFP / Getty Images

Número um mundial defronta o terceiro do ranking, num jogo de campeões que também serve para a contabilidade estatística de ambos. Na prova feminina, Serena Williams afastou Sharapova e segue como favorita à vitória final

Mais uma terça-feira no "escritório" para os favoritos do Open de ténis da Austrália. Novak Djokovic e Roger Federer venceram os seus jogos e passam às meias-finais do primeiro torneio "major" deste ano, ambos à procura de atingir a sua sexta final em Melboune.

Nos quartos de final, Djokovic despachou o japonês Kei Nishikori com uma vitória expressiva (6-3, 6-2, 6-4), em duas horas e sete minutos. Na ronda anterior, o campeão em 2015 precisara do dobro do tempo para bater Gilles Simon, uma prestação que causou algumas dúvidas sobre as suas hipóteses de revalidar o título australiano. Esta terça-feira, porém, o líder mundial parece ter voltado à boa forma.

"Segunda-feira nem toquei na raquete. Joguei muito nas últimas quatro a cinco semanas e às vezes faz bem repousar, física e mentalmente", disse Djokovic depois da vitória convincente sobre Nishikori.

Já o seu próximo adversário ultrapassou o checo Tomas Berdych, com os parciais de 7-6, 6-2 e 6-4 e muita calma. "Estou contente com o jogo. Preferia não ter concedido um ou dois breaks, mas reagi rapidamente", disse Federer aos jornalistas no final da partida.

O próximo duelo entre o sérvio e o suíço, o 45.º desde que estão no circuito profissional, tem um aliciente extra, à conta das 22 vitórias para cada lado nos confrontos anteriores. Se a partida agendada para esta quinta-feira pode desempatar este detalhe das estatísticas, os números restantes parecem favorecer Djokovic. Cinco vezes campeão na Austrália (Federer tem menois um títulos), o sérvio é praticamente invicto em solo australiano: se ganhar a Federer somará a 38ª vitória em 39 jogos no Open de Melbourne (feito apenas manchado pela derrota em 2014 contra outro suíço, Stanislas Wawrinka, vencedor do torneio nesse ano).

Williams continua serena

Serena Williams poderosa, como sempre

Serena Williams poderosa, como sempre

TRACEY NEARMY / EPA

No torneio feminino, o encontro dos quartos de final entre duas das mais conhecidas tenistas de sempre não teve história. Serena Williams bateu Maria Sharapova (6-4 e 6-1), tudo menos uma surpresa quando falamos da onda invicta da norte-americana diante a tenista russa, com quem não perde desde 2005.

O encontro foi curto mas as jogadoras trocaram elogios no final. "Há qualquer coisa no jogo dela, adoro a forma como joga", elogiou a vencedora. Sharapova retribuiu dizendo que a atual número um mundial "joga a um nível diferente dos outros".

Serena Williams defrontará agora Radwanska na meia-final. A polaca bateu Carla Suarez em dois sets (6-1 e 6-3), mas não se esperam grandes surpresas. Afinal, Radwanska, n.º 4 mundial, é mais uma das (muitas) adversárias contra quem Serena permanece invicta.