Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sébastien Ogier imparável no “Monte”

  • 333

REPORTER IMAGES / EPA

Grande arranque da temporada para o tricampeão mundial de ralis, que saiu de Monte Carlo com o máximo de pontos depois de ganhar a “power stage”

Pedro Roriz

Sem surpresa, a derradeira etapa do Rali Monte Carlo, disputada esta dom ingo, confirmou a vitória do francês Sébastien Ogier (VW Polo R WRC), que juntou a este triunfo, o 33.º da sua carreira, os três pontos suplementares da “power stage”.

Foi um excelente início de defesa do ceptro, com o tricampeão mundial a gerir os pneus nas duas primeiras especiais do dia para poder atacar na “power stage” coincidente com o derradeiro troço cronometrado e sair de Monte Carlo com o máximo de pontos.

“É fantástico começar o ano a ganhar e logo naquele que é, para mim, o rali mais importante do ano. Foi a quarta vitória, num rali muito difícil, mas estou muito feliz”, disse aos jornalistas no final.

Problemas no diferencial, que fizeram com que tivesse ficado reduzido a duas rodas motrizes, impediram o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 WRC) de tentar chegar ao 2.º lugar final, que acabou por ficar na posse do norueguês Andreas Mikkelsen. Apesar de estar ainda em fase de adaptação a um novo navegador, o colega norueguês de Ogier garantiu a dobradinha da marca alemã.

Idêntico problema mecânico dificultou a recuperação do neo-zelandês Hayden Paddon (Hyundai i20 WRC), com os carros da marca sul-coreana a revelarem problemas de juventude que, com o tempo, deverão ser corrigidos e permitirão aos seus pilotos discutirem de forma mais consistente as primeiras posições.

O norueguês Mads Ostberg (Ford Fiesta RS WRC) e o francês Stéphane Lefebvre (Citroën DS3 WRC) foram os sobreviventes das respectivas equipas oficiais, enquanto o inglês Elfyn Evans (Ford Fiesta R5) triunfou entre os WRC2. Nesta categoria, o finlandês Esapekka Lappi (Skoda Fabia R5), autor de uma notável recuperação, assegurou o 2.º lugar à frente do alemão Armin Kremer (Skoda Fabia R5), com este trio a fechar o lote dos 10 primeiros.

Classificação final: 1.º, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (VW Polo R WRC), 3h 49m 53,1s; 2.º, Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger (VW Polo R WRC), a 1m 54,5s; 3.º, Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai i20 WRC), a 3m 17,9s; 4.º, Mads Ostberg/Ola Floene (Ford Fiesta RS WRC), a 4m47,7s; 5.º, Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau (Citroen DS3 WRC), a 7m 35,6s; 6.º, Dani Sordo/Marc Marti (Hyundai i20 WRC), a 10m 35,5s; 7.º, Ott Tanak/Raigo Molder (Ford Fiesta RS WRC), a 11m 39,9s; 8.º, Elfyn Evans/Craig Parry (Ford Fiesta R5), a 18m 30,8s; 9.º, Esapekka Lappi/Janne Ferm (Skoda Fabia R5), a 20m 41s; 10.º, Armin Kremer/Pirmin Winklhofer (Skoda Fabia R5), a 20m 43,9s.

Classificação dos Mundiais depois da prova monegasca:

Pilotos – 1.º, Sébastien Ogier, 28 pontos; 2.º, Andreas Mikkelsen, 19; 3.º, Thierry Neuville, 15; 4.º, Mads Ostberg, 12; 5.ºs, Stéphane Lefebvre e Dani Sordo, 10; 7.º, Ott Tanak, 6; 8.º, Elfyn Evans, 4; 9.º, Esapekka Lappi, 2; 10.º, Armin Kremer, 1

Navegadores – 1.º, Julien Ingrassia, 28 pontos; 2.º, Anders Jaeger, 19; 3.º, Nicolas Gilsoul, 15; 4.º, Ola Floene, 12; 5.ºs, Gabin Moreau e Marc Marti, 10; 7.º, Raigo Molder, 6; 8.º, Craig Parry, 4; 9.º, Janne Ferm, 2; 10.º, Pirmin Winklhofer, 1

Marcas – 1.º, VW Motorsport, 46 pontos; 2.º, Hyundai Motorsport, 25; 3.º, M-Sport World Rally Team, 12

A próxima prova é o Rali da Suécia, que decorre entre de 11 a 14 de fevereiro.