Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Pinto da Costa igual a Florentino Pérez, ao estilo Pôncio Pilatos

  • 333

Estela Silva/Lusa

Um dia depois de a alegria ter voltado à Invicta com a goleada do FC Porto frente ao Boavista, imprensa espanhola não se conforma com a despedimento de Julen Lopetegui, uma vítima do presidencialismo de Pinto da Costa, à semelhança de Rafa Benítez no Real Madrid

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

No dia em que se aguarda o anúncio do sucessor efetivo de Julen Lopetegui no comando do FC Porto, o site do “El Confidencial” compara as lideranças soberanas de Jorge Nuno Pinto da Costa e de Florentino Pérez, apelidados de chefes de tribo. “Todas as decisões de relevo têm de ter o seu beneplácito. Caso contrário, não se executam. E ponto”, refere o diário espanhol.

Caídos em desgraça na mesma semana, Rafa Bénitez e Lopetegui foram despedidos pouco depois de “os líderes do Real Madrid e FC Porto lhes terem renovado a confiança, simplesmente porque o senhor Pérez e o senhor Pinto da Costa baixaram o polegar qual Pôncio Pilates, para de seguida lavarem as mãos e disfarçarem a decisão absolutamente pessoal como consensual no interior da direção”.

No caso do treinador basco, o “El Confidencial” chama a atenção para o facto de a equipa técnica espanhola ter sido despedida cinco dias depois de perder o primeiro jogo da época na Liga e a liderança do campeonato frente ao Sporting, horas antes de a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol ter proclamado os Dragões como o melhor clube português de 2015.

Num artigo muito crítico, o site refere que Real Madrid e FC Porto vivem em galáxias diferentes no que se refere ao potencial dos seus plantéis, mas revelam um perigoso paralelismo a nível diretivo. A pressão dos adeptos e de boa parte dos meios de comunicação local, “muito críticos do tipo de jogo da equipa, em especial nas duas últimas derrotas e um empate” (Rio Ave), é apontada como a causa da descida aos infernos de Lopetegui, “uma cartada perfeita para o dono e senhor do clube duas vezes campeão da Europa mandar para a rua Lopetegui e sua equipa”.

Com o mesmo “sangue frio e falta de argumentos cabais”, Florentino despachou Benítez e sacou do chapéu Zinedine Zidane para anestesiar pela enésima vez os moradores do coliseu madrilista, “assim como o homem que governa com mão absolutista os desígnios do Porto nos últimos 33 anos”.

Pinto da Costa é ainda acusado de ter despachado o técnico que foi uma escolha pessoal há um ano e meio para encabeçar um projeto minimalista, “com contratações a custo zero para recuperar o prestígio perdido na Europa”, após ter perdido jogadores que renderam aos cofres portistas 91 milhões de euros, entre os Otamendi, Defour, Mangala).

Indiferentes aos reparos vindos do país vizinho, os adeptos portistas vibraram este domingo com a maior goleada da época dos azuis e brancos, suspensos ainda do nome do sucessor do mal-amado Lopetegui. O jornal “A Bola” avançou este domingo que o próximo treinador do FC Porto pode ser anunciado ainda esta segunda-feira, embora, como interino, Rui Barros possa ainda orientar o jogo desta quarta-feira, de novo no Bessa mas agora para a Taça de Portugal, frente ao Boavista.

Rui Barros, depois de ter erguido a Supertaça em 2006 no único jogo que orientou até este domingo à noite, na transição de Co Adriaanse para Jesulado Ferreira, regressou esta manhã aos treinos, à porta fechada, como acontece desde que assumiu sexta-feira, interinamente, o cargo de treinador principal.

André Villas-Boas e Marco Silva figuram no topo da lista dos treinadores mais desejados para um projeto de futuro no Dragão, mas não é de descartar uma solução provisória até ao final da época. Plano B onde se enquadram nomes como o de Jesualdo Ferreira ou Nuno Espírito Santo.