Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Se não me deres este ponto, a nossa amizade acabou aqui

  • 333

A subir de forma, João Sousa está a melhorar a sua classificação no ranking do ténis profissional

AFP / Getty Images

O ano de 2015 no ténis teve dois protagonistas para mais tarde recordar - Serena Williams e Novak Djokovic - e um protagonista para deixar de lembrar o mais cedo possível - aqueles bate-boca nos courts. O Expresso continua a apresentar os acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

Não se pode dizer que 2015 tenha acabado mal para João Sousa. Ao ganhar em Valência, o tenista de Guimarães que vive em Barcelona voltou a conseguir o que tinha conseguido pela primeira vez em 2013, em Kuala Lumpur: conquistar um torneio ATP. E, consequentemente, ascender ao 33º lugar do ranking mundial, a melhor classificação de sempre para um tenista português.

Mas o início do ano não foi assim tão memorável para Sousa. Bem pelo contrário. Em maio, o tenista de 26 anos viu-se metido numa encrenca num court que fez lembrar uma daquelas zangas de jardim de infância entre BFF (em caso de dúvida sobre esta sigla, Paulo Portas explica o que significa), que acabava com um sonoro "não sou mais teu amigo!", enquanto alguém virava as costas à amizade e outro alguém o empurrava como retaliação.

Ora, em Genebra ninguém empurrou ninguém, mas houve um desses amuos pueris quando Jurgen Melzer achou que o amigo e, na ocasião, adversário João Sousa tinha deixado a bola bater duas vezes no chão antes de lhe tocar. O que se seguiu foi uma espécie de cruzar de braços, bater de pé e virar de costas; Melzer parou a jogada e exclamou "se não me deres este ponto, a nossa amizade acabou aqui".

Sousa jurou a pés juntos ao amigo que a bola não tinha batido duas vezes (a bem da verdade, nem as imagens esclarecem) e o jogo prosseguiu amigavelmente até à vitória do português sobre o austríaco de 34 anos. No final, amigos amigos, ténis à parte: ambos cumprimentaram-se rapidamente e sem conversas.

RAJAT GUPTA/epa

É bom que Melzer não tenha insistido na questão, porque com menos idade para ter juízo e mais propensão para bate bocas o ténis já tem um australiano de 20 anos: Nick Kyrgios. Apesar de todos lhe reconhecerem talento, o miúdo teve um ano para esquecer: em Wimbledon, foi acusado de ter insultado um árbitro e de ter desistido de um jogo, e no Canadá teve uma tirada bem mais adolescente e bem menos infantil do que a de Melzer para Sousa. "O Kokkinakis comeu a tua namorada, desculpa lá dizer-te isto, amigo", atirou para Stan Wawrinka a meio de um jogo.

Evidentemente, a pancada não foi bem recebida por Wawrinka (que, curiosamente, já se tinha queixado de outras bocas - as de Mirka Federer, mulher de Federer - no ano passado). Apesar de o tenista suíço não ter ouvido a frase de Kyrgios durante o jogo, alguém o avisou quando a partida acabou e, quando ambos entraram no balneário, houve muito mais bocas a voar.

Wawrinka confrontou Kyrgios e o irmão deste, Christos, disse no Facebook que tinha havido uma agressão. Mas Nick não se queixou e Stan não confirmou: " O que aconteceu no balneário fica lá". Mas Wawrinka não ficou satisfeito e pediu um castigo severo para o adversário. "Ele é novo mas isso não é desculpa. Comporta-se mal em todos os jogos".

Conclusão: Kyrgios foi multado em pouco mais de 5 mil euros e fez aquilo que todos os meninos acabam por fazer depois de uma briga que começaram: pediu desculpa. Já podemos voltar a ser BFF?

  • Nunca mudes, Vítor

    Vítor Pereira é um dos melhores treinadores portugueses. Não só dentro de campo, mas nas salas de imprensa, onde não deixa nada por dizer, mesmo depois de ser atacado numa invasão de campo para esquecer. O Expresso apresenta nos próximos dias os acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

  • O pecado de José e Eva

    Um homem, uma mulher e um grande problema: José Mourinho criticou Eva Carneiro e começou uma guerra no Chelsea - que acabou com dois momentos para esquecer: o despedimento de ambos. O Expresso apresenta nos próximos dias 10 acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

  • Ela era a maior. Até ter ficado KO

    Ela chama-se Ronda Rousey e é provável que não a conheça. Mas esta norte-americana está para ficar, apesar de ter tido um momento para esquecer, quando a cara dela encontrou o punho de uma adversária. O Expresso continua a apresenta os 10 acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

  • O campeão de xadrez aldrabão

    Quando a bexiga apertava, não havia quem parasse Gaioz Nigalidze. O problema é que este campeão de xadrez não ia a correr sentar-se na sanita: ia fazer batota. O Expresso continua a apresentar os 10 acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

  • O melhor mesmo é não mexer um dedo

    Quase tudo pode acontecer num jogo de futebol, especialmente quando o árbitro está a olhar para o lado. Mas insultos, cabeçadas e dentadas são para meninos ao pé da criatividade de Gonzalo Jara, que teve um momento para esquecer quando enfiou um dedo no... bom, é melhor ver o vídeo. O Expresso continua a apresenta os 10 acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016

  • Isso são coisas entre o Barça e o Madrid

    Kevin Roldán queria ser jogador mas acabou cantor. Só que foi o futebol a dar-lhe notoriedade mundial: cantou para os jogadores do Real Madrid, numa festa de aniversário para esquecer, e encantou os jogadores do Barcelona. O Expresso continua a apresentar os acontecimentos desportivos de 2015 que mais vale esquecer em 2016