Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

NOS quer “replicar com todos os outros” acordo assinado com o Benfica

  • 333

nuno botelho

CEO da empresa anunciou o que o Expresso Diário já tinha adiantado. Abordagem da MEO a vários clubes portugueses mantém a NOS em alerta. Maioria dos clubes tem contrato com a Olivedesportos até 2018, mas a NOS admite esta a posicionar-se para não perder conteúdos para a concorrência

O Benfica não vai ser o único alvo da NOS na guerra pelos direitos televisivos dos clubes de futebol em Portugal. Embora o contrato com o Benfica tenha sido o único já firmado, a NOS continua no terreno e admite o objetivo de replicar este tipo de acordo com todos os clubes nacionais nos próximos tempos.

Na conferência de imprensa de apresentação do acordo estabelecido entre o Benfica e a NOS, esta quinta-feira no Estádio da Luz, o CEO da empresa referiu que a operadora espera no futuro "replicar com todos os outros a parceria" estabelecida agora com o clube encarnado.

Fontes ouvidas pelo Expresso indicam mesmo que a operadora liderada por Miguel Almeida já está a trabalhar nesse sentido e até a negociar acordos com alguns clubes. Mas sempre num horizonte posterior a 2018: até lá, a esmagadora maioria dos clubes portugueses já tem contratos em vigor com a Olivedesportos e a Sport TV.

A única exceção a esta regra era o Benfica, que estava a explorar diretamente os seus direitos televisivos na BTV, e que fechou um acordo com a NOS válido para as próximas três épocas - e extensível até um máximo de dez anos - por um preço médio de 40 milhões/época.

O objetivo é claro: impedir que a PT Portugal, dona da MEO, consiga garantir exclusivos de direitos e emissão de clubes portugueses e com isso colocar em causa a sustentabilidade da Sport TV. Na NOS reina a convicção de que os clubes não irão desrespeitar os acordos que estão em vigor até 2018 ou arriscar o pagamento de cláusulas de rescisão unilateral que lhes permitam estabelecer já novos acordos com a MEO.

Nas últimas semanas foram noticiadas as várias abordagens da MEO a clubes portugueses de pequena e média dimensão, para tentar negociar a compra dos direitos de emissão dos seus jogos em casa. Segundo avançou o Expresso, o Boavista terá sido mesmo o primeiro clube a estabelecer um acordo de princípio nesse sentido. O "Jornal de Negócios" acrescentou que Belenenses e Vitória de Guimarães serão outros dos alvos em conversações adiantadas com a PT Portugal.

Em cima da mesa, segundo fontes do mercado, a dona da MEO estará a pôr valores que aumentam em até cerca de 50% por época os montantes dos últimos contratos assinados entre a Olivedesportos e os clubes. Propostas que elevam, assim, para entre 2 a 3 milhões por época o valor dos direitos de alguns destes clubes.

Fora das abordagens da MEO terão estado, até agora, o Sporting e o FC Porto, que também têm contratos com a Olivedesportos e a Sport TV válidos até à temporada 2017/18 e pelos quais recebem entre 17 milhões e 20 milhões de euros pelos direitos televisivos e de exploração publicitária nos seus jogos em casa.

Estas sondagens da MEO incluíram, no entanto, uma abordagem ao Benfica, que precipitou o contra-ataque da NOS. Isto porque o clube da Luz era o único que podia assinar um contrato válido já para a próxima época.

O eventual regresso dos jogos do Benfica (bem como da Liga italiana e francesa) à Sport TV é uma possibilidade, mas não uma certeza. O presidente do clube da LUZ disse esta quinta-feira, na conferência de imprensa conjunta com a NOS, que a decisão está nas mãos da empresa.