Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Ministro russo desaconselha clubes a contrararem futebolistas turcos

  • 333

"Neste momento, aconselho os clubes russos a descartarem a aquisição de desportistas turcos" no mercado de inverno, diz o ministro do Desporto russo Vitali Mutkó

KIRILL KUDRYAVTSEV

“Se alguém tem a intenção de contratar algum desportista turco durante o mercado de inverno, estou seguro de que não terá essa possibilidade. Não quero adiantar cenários, mas acho que o sinal é claro”

O ministro do Desporto russo, Vitali Mutkó, afirmou esta segunda-feira que os clubes russos poderão ser impossibilitados de contratar futebolistas turcos durante o período de transferências de janeiro, devido às sanções impostas pelo Kremlin.

"Se alguém tem a intenção de contratar algum desportista turco durante o mercado de inverno, estou seguro de que não terá essa possibilidade. Não quero adiantar cenários, mas acho que o sinal é claro", afirmou Mutkó em declarações aos jornalistas, depois de este sábado a Rússia ter imposto sanções económicas à Turquia, na sequência do abate de um avião da Força Aérea russa na fronteira com a Síria.

"Neste momento, aconselho os clubes a descartarem a aquisição de desportistas turcos", reforçou o ministro.

Questionado sobre Gokdeniz Karadeniz, médio que atua no Rubin Kazan, o governante russo considerou que o internacional turco é uma "excelente pessoa" e um "exemplo". "No fundo, Karadeniz já é um rapaz russo. Se todos os turcos fossem como ele seria muito bom", referiu.

Mutkó negou ainda que as empresas turcas contratadas para trabalhar na construção dos estádios para o Campeonato do Mundo de 2018 sejam afetadas pelas recentes medidas do governo russo.

As sanções económicas visam "garantir a segurança nacional e a dos cidadãos russos" e incluem a proibição de voos charter entre os dois países e de empresários russos contratarem cidadãos turcos, bem como restrições na emissão de vistos, de acordo com o texto do decreto divulgado pelo Kremlin.

Também será proibida ou limitada a entrada na Rússia de determinadas mercadorias provenientes da Turquia, de acordo uma lista que será elaborada pelo Governo.

A 24 de novembro, dois caças-bombardeiros F-16 abateram um SU-24 russo por este ter violado o espaço aéreo turco dez vezes num período de cinco minutos, ao longo da fronteira com a Síria, ignorando todas as advertências, segundo Ancara.

Versão diferente é defendida por Vladimir Putin, que assegura que o SU-24 não ameaçava a Turquia e sobrevoava território sírio, a quatro quilómetros da fronteira. O Presidente russo logo advertiu que aquilo a que chamou de "facada nas costas" iria ter "consequências sérias" nas relações diplomáticas entre os dois países.