Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Fórmula 1. A “vingança” de Nico Rosberg

  • 333

Nico Rosberg comemora após a sua vitória

HENRY ROMERO/REUTERS

O alemão Nico Rosberg (Mercedes) venceu o GP do México e “vingou” a derrota sofrida, a semana passada, em Austin

Curiosamente, a corrida, realizada no recuperado Autódromo Hermano Rodriguez, teve para ter um final semelhante, já que o alemão, na fase final, depois da saída do “safety car” provocada pelo despiste do seu compatriota Sebastian Vettel (Ferrari), cometeu um erro. Mas, desta vez, o inglês Lewis Hamilton não pode aproveitar, por ter cometido o mesmo erro, no mesmo local.

Assim, Nico Rosberg assegurou a vitória e recuperou o segundo lugar do campeonato, indo para as duas derradeiras corridas com uma vantagem de 21 pontos sobre o piloto da Ferrari, quando estão em jogo 50.

A vitória de Nico Rosberg não sofre contestação, já que foi, ao longo de todo o fim-de-semana, mais eficaz do que o seu companheiro de equipa, como o demonstra o facto de só num treino livre ter sido suplantado por Lewis Hamilton.

Contra o que é costume, Sebastian Vettel cometeu demasiados erros e pode ter comprometido a conquista do segundo lugar, por ter ficado em branco.

Logo na primeira volta, o alemão não deixou espaço para o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/Renault) e, como resultado do toque, sofreu um furo, que o obrigou a ir à “box” mudar de pneus, mais cedo do que estava previsto.

De regresso à pista encetou a recuperação, que terminou, a 19 voltas do fim, quando não evitou uma saída de pista. Contribuiu assim para o mau dia da Ferrari, que tinha visto o finlandês Kimi Raikkonen desentender-se com o seu compatriota Valtteri Bottas (Williams/Mercedes), que viria a completar o pódio, enquanto o piloto da marca italiana abandonava, com a suspensão direita traseira partida.

Bom resultado conjunto da Red Bull/Renault, que colocou os seus dois pilotos nos lugares seguintes, com o espanhol Fernando Alonso (McLaren/Honda) a desistir no final da primeira volta, por o motor continuar a revelar problemas, que a marca nipónica continua sem conseguir resolver.

Contudo, e por aquilo que se fala nos bastidores, existe a possibilidade da Honda fornecer motores à Red Bull em 2016, o que a concretizar-se não será, por certo, do agrado de Ron Dennis, o patrão da McLaren.

Classificação final

CLAS.

PILOTO

CHASSIS/MOTOR

TEMPO

1.º

Nico Rosberg

Mercedes W06/Mercedes

1.42.35,038

2.º

Lewis Hamilton

Mercedes W06/Mercedes

a 1,954

3.º

Valtteri Bottas

Williams FW36/Mercedes

a 14,592

4.º

Daniil Kvyat

Red Bull RB11/Renault

a 16,572

5.º

Daniel Ricciardo

Red Bull RB11/Renault

a 19,682

6.º

Felipe Massa

Williams FW36/Mercedes

a 21,493

7.º

Nico Hulkenberg

Force India VJM07/Mercedes

a 25,860

8.º

Sergio Perez

Force India VJM07/Mercedes

a 34,343

9.º

Max Verstappen

Toro Rosso STR10/Renault

a 35,229

10.º

Romain Grosjean

Lotus E23/Mercedes

a 37,934

11.º

Pastor Maldonado

Lotus E23/Mercedes

a 38,538

12.º

Marcus Ericsson

Sauber C34/Ferrari

a 40,180

13.º

Carlos Sainz

Toro Rosso STR10/Renault

a 48,772

14.º

Jenson Button

McLaren MP4-30/Renault

a 49,214

15.º

Alexander Rossi

Marussia MR04/Ferrari

a 2 voltas

16.º

Will Stevens

Marussia MR04/Ferrari

a 2 voltas

Classificação dos campeonatos, depois da prova mexicana

PILOTOS

1.º, Lewis Hamilton, 345 pontos;

2.º, Nico Rosberg, 272;

3.º, Sebastien Vettel, 251;

4.º, Valtteri Bottas, 126 ;

5.º, Kimi Raikkonen, 123 ;

6.º, Felipe Massa, 117;

7.º, Daniil Kvyat, 88;

8.º, Daniel Ricciardo, 84;

9.º, Sérgio Perez, 68;

10.º, Max Verstappen, 47;

11.º, Romain Grosjean, 45;

12.º, Nico Hulkenberg, 44;

13.º, Felipe Nasr, 27;

14.º, Pastor Maldonado, 26;

15.º, Carlos Sainz, 18;

16.º, Jenson Button, 16;

17.º, Fernando Alonso, 11;

18.º, Marcus Ericsson 9 ;

CONSTRUTORES

1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 617 pontos;

2.º, Scuderia Ferrari, 374;

3.º, Williams Martini Racing, 243;

4.º, Infiniti Red Bull Racing, 172;

5.º, Sahara Force Índia F1 Team, 112;

6.º, Lotus F1 Team, 71;

7.º, Scuderia Toro Rosso, 65;

8.º, Sauber F1 Team, 36;

9.º, McLaren Honda, 27

Próxima prova: GP do Brasil, no Autódromo de Interlagos, dia 15 de Novembro