Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Luís Filipe Vieira. “A credibilidade do clube não se faz aos gritos”

  • 333

LUÍS FORRA / Lusa

Depois da derrota caseira com o Sporting, no domingo, a semana voltou a virar as atenções para o Benfica mas não pelas melhores razões. Com críticas de fora - sobretudo do outro lado da Segunda Circular - e de dentro - com o vice-presidente, Rui Gomes da Silva, a atacar a estrutura -, o presidente dos encarnados decidiu esta quinta-feira responder a todos

Discursando no jantar de homenagem a Armando Jorge Carneiro, o responsável do centro de estágio benfiquista que vai deixar o clube, Luís Filipe Vieira deixou uma mensagem clara na noite desta quinta-feira: "Não vamos andar a gritar a nossa razão, vamos apenas reclamá-la onde o devemos fazer".

O presidente dos encarnados conseguiu assim responder a dois ataques de uma só vez. Para Bruno de Carvalho - embora sem mencionar o nome do presidente dos leões uma só vez -, Vieira guardou fortes críticas, sublinhando que "se alguém tem razões de queixa do Benfica ou de outro clube qualquer" deve apresentá-las "às instâncias competentes e esperar". Numa referência clara ao homólogo sportinguista, Vieira deixou um aviso: "Deixem de deslumbrar-se com os microfones, respeitem o futebol português". E mais: "As palavras têm consequências, que vão chegar".

A segunda resposta de Luís Filipe Vieira - de novo sem fazer menções concretas - foi a quem tem desestabilizado a estrutura do clube, nomeadamente Rui Gomes da Silva, seu vice-presidente, que esta segunda-feira criticou um "aburguesamento da estrutura benfiquista". A resposta: "A credibilidade do clube e a sua defesa não se fazem aos gritos. Se precisamos de estar permanentemente aos gritos, é porque não existe razão naquilo que gritamos".

O presidente do clube da Luz aproveitou ainda para deixar um recado, desta vez claro, ao presidente da Liga, Pedro Proença. Para Vieira, "uma postura permanente de guerrilha, de suspeição, de conflito não prejudica o Benfica, prejudica todo o futebol português". Por esta razão, sublinhou que "o presidente da Liga deve saber que o exercício do poder tem de ser efetivo", para que quem "insiste em manipular e insinuar factos" seja "responsabilizado e punido".

O Benfica encontra-se em clima de guerra aberta com o Sporting desde que o antigo treinador Jorge Jesus trocou a Luz por Alvalade, no final da época passada. Para além dos ataques de Bruno de Carvalho e de Rui Gomes da Silva, também Jesus deitou esta semana achas para a fogueira, afirmando em entrevista à revista "GQ" que o presidente da SAD encarnada, Rui Costa, é "o único naquela estrutura que percebe de futebol".