Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Rui Gomes da Silva contra-ataca: “Olho por olho, dente por dente”

  • 333

Nuno Botelho

O Benfica-Sporting de domingo continua em prolongamento. Vice-presidente encarnado recupera uma crónica de 2013 para responder a quem o acusa de estar a agir com uma “agenda própria”, focada numa candidatura à presidência do Benfica: “A defesa dos valores não depende de circunstancialismos”

No início desta semana, as críticas do vice-presidente do Benfica Rui Gomes da Silva à estrutura encarnada caíram como uma bomba no seio do clube, com fontes internas a acusarem-no de estar a preparar uma candidatura à presidência do Benfica. A esperada resposta de Gomes da Silva surge na edição desta quinta-feira do jornal “A Bola”, numa crónica intitulada de forma sugestiva: “Olho por olho, dente por dente! Vamos a isto, outra vez, Benfica?”.

Porquê “outra vez”? Porque grande parte do texto de opinião de Gomes da Silva consiste numa citação de outro texto seu, publicado em 2013, no mesmo desportovo. Nele, o vice-presidente dos encarnados defendia que seria necessário responder aos inimigos do clube de forma clara: “Não sou dos que preferem a paz mais injusta à mais justa das guerras”. Na altura, Gomes da Silva classificava a “qualquer tentativa de conciliação com corruptos” como sendo “incompreensível, inadmissível e inaceitável”.

Agora, o dirigente vem reafirmar a opinião expressada no início desta semana, quando falou do “aburguesamento da estrutura” benfiquista: “Não me peçam para concordar publicamente com a atuação de alguns dos meus, quando discordo das suas omissões”. Rui Gomes da Silva relembra que “não é verdade que nos últimos seis anos o Benfica tenha ganho sem adesão a esta tese de conflitualidade”, apelando a um espírito de “batalha” por parte dos benfiquistas.

Gomes da Silva aproveita ainda para deixar um recado a quem, no seio da estrutura do clube, o tem acusado de estar a preparar uma candidatura à presidência benfiquista, agindo com base numa “agenda própria”: “A defesa dos valores não depende de circunstancialismos ou de oportunidade”, motivo pelo qual o vice mostra “total disponibilidade para travar os combates necessários pelas ideias” em que acredita. Defendendo sempre ter sido “coerente”, sublinha que o Benfica é “um clube plural e de liberdade”.

O vice-presidente responde assim às críticas internas que, na sequência da sua intervenção no programa de comentário desportivo “O Dia Seguinte”, na SIC Notícias, o acusaram de ter “falta de solidariedade”. Rui Gomes da Silva terá admitido ter ido “longe de mais” nas críticas à estrutura do clube, estando a considerar retificar as suas declarações na próxima edição do programa.