Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Râguebi: o melhor árbitro do Mundo no melhor jogo do Mundo. E é gay

  • 333

David Rogers/GETTY

Nigel Owens assumiu-se em 2005, décadas depois de lutar contra um segredo que quase o levou à morte numa tentativa de suicídio por overdose. Esta sábado, dirige o Nova Zelândia-Austrália

Nigel Owens tinha 18 anos quando percebeu que não era como os outros miúdos, apesar de ter namoriscos como os outros miúdos. Ele sabia que era diferente, que havia alguma coisa que não batia certo, e decidiu ir contra isso. Achou possível contrariar a natureza de um homem que gosta de outros homens: "Vou fazer tudo para me apaixonar por esta rapariga." Não conseguiu, e assumiu-se perante ele e só ele. O resto do mundo podia esperar enquanto Nigel lidava com o seu segredo num mundo "heterossexual e masculino".

Nigel Owens é galês e galês que se preze joga râguebi como ele jogou. Durante um tempinho, foi arrière mas um falhanço incrível numa conversão de uma falta fez-lhe ver que o râguebi não era para ele. Seguiu o conselho de um professor: "Vai para árbitro." E foi; mas não foi fácil.

Quis esconder a sua sexualidade num desporto de machos e com 26 anos achou que não tinha vida para aquilo; aliás, que aquilo não era vida e por isso tentou acabar com ela, numa overdose. Foi salvo pela polícia, mas o suicídio nunca lhe saiu da cabeça durante os nove anos em que conviveu com aquele segredo. Nigel não conhecia outro gay no râguebi e faltou-lhe sempre a coragem de dar o passo definitivo. Até que, em 2005, contou aos pais e aos amigos, e, um ano depois, à imprensa.

Nigel Owens está habituado aos grandes confrontos de râguebi. Ainda em agosto deste ano, em Auckland, apitou um jogo entre as equipas finalistas do Mundial britânico

Nigel Owens está habituado aos grandes confrontos de râguebi. Ainda em agosto deste ano, em Auckland, apitou um jogo entre as equipas finalistas do Mundial britânico

Anthony Au-Yeung / Getty Images

"Foi como se tivesse nascido novamente". Para surpresa de Nigel, as federações apoiaram-no, os jogadores também, alguns deles fazem-lhe perguntas sobre o parceiro, outros brincam com a situação. Um dia, Ryan Jones, capitão dos Ospreys de internacional galês, disse-lhe para esperar antes de entrar no balneário. "Espera, deixa-me vestir, sim?" Nigel respondeu-lhe que não havia problema, que não se preocupasse, até porque ele era feio de mais.

P.S: Nigel é o melhor árbitro do Mundo e vai apitar a final do Mundial de râguebi este sábado, entre a Nova Zelândia, detentora do título, e a Austrália.

* Este texto baseia-se num artigo escrito por Nigel Owens no "The Independent"