Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Pagava €50 milhões para despedir o melhor treinador que o Chelsea já teve?

  • 333

Mourinho com cara de poucos amigos. Ultimamente tem sido sempre assim

Jordan Mansfield/Getty

Mais um jogo, mais uma derrota. O Chelsea perdeu na noite desta terça-feira com o Stoke City, para a Taça da Liga inglesa, e Mourinho já não está “happy”. Mas é caso para despedimento?

Sabe como se diz José Mourinho em inglês, ultimamente? Simples: “oh rósay”. Não parece ser nada, mas imagine na sua cabeça o melhor sotaque britânico que conseguir a tentar dizer um nome português, entredentes, misturado com um suspiro. O que sai é um “oh rósay”, que é como quem diz um penoso “ó, José”.

É que os dias do treinador português em Londres deixaram de ser “happy” (campeão em 2014/15) e passaram a ser “horrible” nos últimos dois meses. Desde o início da época, em 16 jogos oficiais o Chelsea soma sete derrotas, cinco vitórias e quatro empates. O saldo negativo foi agravado na noite desta terça-feira, quando os blues foram afastados da Taça da Liga frente ao Stoke City (nos penáltis), e ganha contornos ainda mais gravosos quando vamos ao histórico ver os números da equipa na época passada: em 54 jogos, 36 vitórias, 14 empates e quatro (quatro) derrotas. Ou seja, o Chelsea já tem mais derrotas no início desta época do que em toda a anterior.

O registo é duro e a postura de Mourinho nas últimas semanas também: despromoveu a médica da equipa Eva Carneiro, foi investigado pela Federação, criticou os árbitros, foi castigado pela Federação, criticou os jogadores, criticou os jornalistas, criticou novamente os jogadores e ainda criticou mais um bocadinho os árbitros.

O Chelsea ocupa o 15.º lugar da Premier League, com 11 pontos, menos 11 do que o líder Manchester City, e em Inglaterra os jornais já dizem que Roman Abramovich prepara alternativas (Carlo Ancelotti e Guus Hiddink, que também já estiveram no clube, são hipóteses), mas há algo a dificultar a possível saída do “Special One”: uma alegada cláusula de 50 milhões de euros que o clube londrino terá de pagar em caso de despedimento.

Vale a pena gastar tanto dinheiro? Mourinho já respondeu, há umas semanas, quando disse que se o Chelsea o despedir “despede o melhor treinador que já teve”. E aqui o histórico está claramente a favor do português, que conquistou oito títulos num clube que era pouco mais do que mediano antes da chegada do português, em 2004. Foram três campeonatos (2004/05, 2005/06 e 2014/15), três Taças da Liga (2004/05, 2006/07 e 2014/15), uma Taça de Inglaterra (2006/07) e uma Supertaça (2005/06). Abramovich arranja melhor do que isto?