Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Bruno de Carvalho e a teologia na TV: “O Benfica deve muito dinheiro ao Espírito Santo mas quer sacá-lo ao Jesus”

  • 333

Tiago Miranda

Em entrevista ao canal do clube, o presidente do Sporting falou de tudo: de Vieira, que foi sócio do SCP por ter "dores nas costas"; de Pedro Guerra, que é a cara visível de uma "campanha baixa" do Benfica; de Nélio Lucas, o rosto da Doyen que devia ter-se ficado como “técnico de gestão de casting”; e do processo de 14 milhões a JJ, que podiam ser “24, 35, 47 milhões” porque ao treinador tanto se lhe dá

Bruno de Carvalho foi ao canal do clube para uma entrevista que durou 1 hora e 49 minutos, mais segundo, menos segundo, e mexeu e remexeu em todos os assuntos da ordem. E nós reproduzimo-los aqui, condensados e resumidos, e em discurso direto. Aviso: há sound bytes a negrito e em caixa alta.

O PRESIDENTE: "NUNCA ME OUVIRÃO COM A CONVERSA DO CHORÃO"

Ouço várias definições de tiques de perfil. Gostaria de fazer um making off para que as pessoas respondessem à pergunta: qual é o perfil de um presidente? Eu acho que há pessoas que não entendem o que é ser presidente de um clube como o Sporting Clube de Portugal. Ir para o banco ou não, se se mostra muito ou não, se devia participar em programas. As pessoas focam-se naquilo que é pontual e não conseguem ter aquela visão global daquilo que é a estratégia. Eu, tendo tido nota 10 de eficácia no Prolongamento, fico contente. Nunca me ouvirão com a conversa do chorão.

PEDRO GUERRA: "SÓ DIZ ENXURRADAS DE MENTIRAS"

Tudo aquilo naquele programa [Prolongamento] foi pensado. Antes de mais, digo que há uma máquina mediática muito forte do Benfica junto da comunicação social. E eu compreendo em parte, por uma questão de ser querer afirmar como grande. Agora, há uma parte que eu não gosto, a que espezinha. E isso tem uma cara, visível [Pedro Guerra]; também tem outra, escondida, mas isso não será falado aqui e hoje. Mas esta cara visível, predispôs-se a este papel, e dizer mentiras, como aquela que o Sporting não podia recorrer do TAS [caso Rojo] ou aquela que o Sporting podia descer de divisão por causa do Cardinal. Quis, no Prolongamento, esclarecer assuntos e demonstrar que aquela peça da campanha baixa do Benfica, sobretudo esta época, só diz enxurradas de mentiras

A CAIXA: "SÃO 1.120 JANTARES, UMA CAMISOLA, UM SACO"

Aquela caixa [prenda dada aos árbitros] ainda não é a caixa de Pandora: como são feitas as classificações, porque é que há tanta gente contra as novas tecnologias, como são escolhidos os observadores, porque é que os delegados escrevem coisas que depois são outras. Existe a caixa, percebeu-se que são 1.120 jantares, há uma camisola, um saco. Eticamente, a UEFA diz que não se devem aceitar prendas. Isto é um assunto importante: falha ou não um regulamento? Se falha, qual é o regulamento que falha e qual é a sanção. E, se falha, qual a sanção desportiva e podemos mandar isto para o Ministério Público, para se perceber se há crime. O que se fez foi enviar-se tudo para o Ministério Público, para criar poeira. A caixa é um assunto desportivo, da FPF. Ponto. Não é folclore, como diria o outro [João Gabriel, diretor de comunicação do Benfica]. Queima as mãos, tal como o Carrillo queima as minhas e eu tenho de encarar.

A CULPA É DE JESUS: "PERDERAM A SUPERTAÇA, TRESLOUCARAM"

A campanha do Benfica começou logo. As mensagens do Jesus com o jogador, o processo, o hotel Hollyday Inn Gaia-Porto, numa atitude vergonhosa, que nos impede de ir para lá. Publicamente não admitiram, mas em privado, connosco, disseram-nos que havia uma equipa que tinha pedido exclusividade para o hotel ao abrigo de um acordo de cavalheiros - já todos estamos a ver qual é a equipa. Depois disto, o António Simões mostra aqueles documentos que aparecem na segunda-feira no Football Leaks. Não estavam à espera que este Sporting estivesse diferente, que não tivesse receio de dizer o que sabe. Perderam a Supertaça, tresloucaram. Estavam num caminho de grande contenção, começaram a fazer contratos de 9 milhões de euros por 50% do passe. A derrota pesou. A ida do Jesus pesou. E a estratégia mudou. Esta destabilização estava pensada e preparada. Ainda hoje ouvi uma piada muito teológica: "O Benfica deve muito dinheiro ao Espírito Santo, mas quer sacá-lo ao Jesus". Agora, o Rui Vitória foi posto na história pelo Benfica como o Barrabás, naquele discurso de Luís Filipe Vieira.

O PROCESSO A JJ: "DO BENFICA, ESPERA-SE O MAIS BAIXO POSSÍVEL"

É propaganda pura e dura. É ridículo. Colocar processos a Jesus é ridículo... Em resumo: ridículo e fca mal à revista Sábado. E o Record deu cobertura a tudo isto e acho é inacreditável. Podiam ser 14 milhões, 24, 35, 47 milhões. O Jesus quer saber tanto disso como eu, que é nada. Do Benfica espera-se o mais baixo possível.

O FUTEBOL: "DEVIA TER BOLINHA"

Se é o futebol é uma tragédia ou uma comédia? O futebol consegue ter um título universal, com bolinha. Tem tudo. Romance, alianças, terror (o Apito Dourado ou a Caixa), o drama (as coisas que aparecem nos tribunais no dia certo, na hora exata), comédia (só dá para rir), e tem a bolinha, de facto, porque deveria representar os valores certos e não representa. Ainda vivemos num futebol que as pessoas acham ser opaco, mentiroso.

O SÓCIO VIEIRA: "FORAM ONZE ANOS DE MUITAS DORES NAS COSTAS"

Para bom entendedor, meia palavra basta: há a perceção clara de que existe um poder e um jogo fora das quatro linhas. E acho que anda sempre nesta base: agora estou eu, agora estás tu, agora sou eu, agora estás tu. São tudo wannabes. A malta do futebol é wannabe.

[Às tantas, o entrevistador, Nuno Graça Dias, mostra uma ficha de inscrição para sócio do Sporting, com a data 25 de setembro de 1989 com o nome de Luís Filipe Ferreira Vieira.]
A ficha é do presidente do Benfica. A última quota paga foi em 2000, portanto foram onze anos de muitas dores nas costas - eu ouvi-o dizer que foi sócio do Sporting porque tinha dores nas costas e utilizava a piscina.

NÉLIO LUCAS: "EXCELENTE TÉCNICO DE GESTÃO DE CASTINGS"

[Durante a entrevista, passa um vídeo em que surge Nélio Lucas, o rosto do fundo Doyen, a dar uma entrevista a uma agência de estrelas chamada Creative, sediada em Beverly Hills. Nélio é visto como técnico em gestão de casting]

Estamos a falar do homem mais forte do futebol mundial, na perspetiva dele. O senhor Nélio Lucas fazia um agenciamento das maiores estrelas de Hollywood em 2011. Ora, o site da Doyen também aparece em 2011. A Doyen, que disponibiliza milhões, deve ter feito casting e deve ter achado que o melhor era ir buscar o melhor técnico de gestão de casting do mundo para ser a sua cara. Este senhor seria excelente como técnico de gestão de casting... Por isso é que digo que o futebol viveria muito melhor sem os fundos.