Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

O país e o Ronaldo das botas de ouro

  • 333

Cristiano Ronaldo recebeu esta terça-feira, em Madrid, o seu quarto troféu de melhor marcador dos campeonatos nacionais de futebol, confirmando Portugal como o país das botas de ouro. “Não estou satisfeito, quero sempre mais”, diz o craque

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Ronaldo conquistou a sua primeira Bota de Ouro ainda no Manchester United, em 2007/08, tendo depois repetido a façanha em 2010/11, 2013/14 e 2014/15

Ronaldo conquistou a sua primeira Bota de Ouro ainda no Manchester United, em 2007/08, tendo depois repetido a façanha em 2010/11, 2013/14 e 2014/15

ANDREA COMAS / Reiters

O português Cristiano Ronaldo exibiu esta terça-feira de manhã, no Hotel Palace, em Madrid, a quarta Bota de Ouro da sua recheada carreira, galardão que converte a estrela do Real Madrid no futebolista com mais botas douradas do mundo. O capitão da seleção nacional supera assim o seu eterno rival Messi, com três troféus de máximo marcador europeu, depois de ter somado na última época 48 golos pelos merengues, um recorde pessoal.

Ronaldo, que fechou a temporada 2014/15 com dois “hat-tricks”, conquistou a sua primeira Bota de Ouro ainda no Manchester United, em 2007/2008, tendo depois repetido a façanha em 2010/20111 e 2013/2014, já vestido de branco.

No final da cerimónia, o português disse que quer vencer mais Botas de Ouro. “É um momento especial. Não estou satisfeito, quero sempre mais. Sou o único que tem quatro Botas de Ouro, mas quero mais, quero ganhar a quinta, a sexta”, frisou. E logo acrescentou a importância da equipa nesta conquista: “Tenho de agradecer aos companheiros, sem eles não conseguia, e a toda a gente que esteve envolvida e que me ajudou a estar bem fisicamente. Espero que nos possamos ver para o próximo ano.”

JAVIER LIZON / EPA

Antes de Ronaldo receber o prémio, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, disse que este galardão “mostra que estamos diante de um futebolista único e excecional”. “A sua dimensão é gigantesca. (...) Cristiano quer mais. A sua ambição por melhorar faz dele o exemplo para todos.”

O primeiro Bota de Ouro do mundo, tal como CR7, falava português. O inesquecível Eusébio conquistou o troféu em 1967/68, feito que bisaria na época seguinte. Também o antigo futebolista do FC Porto Fernando Gomes coleciona um par de botas de ouro, conquista que lhe valeu até hoje o cognome de bibota.

A consagração de Ronaldo, de 31 anos, em mais uma cerimónia mediática do mundo futebolístico surge um dia depois de o agente do seu colega de equipa Gareth Bale ter tentado minorizar o talento do português e ofuscar a sua aura de sucesso.

Em entrevista ao “The Guardian”, Jonathan Barnett afirmou que o que distingue Bale de CR7 é que o britânico “não quer ser o melhor vendedor de roupa interior”, alusão às campanhas publicitárias da roupa interior Armani e ao lançamento da sua própria linha de cuecas no ano passado.

O empresário de Bale acrescenta ainda que o galês quer ser “apenas o melhor jogador do mundo”, mas, enquanto esse dia não chega, Cristiano Ronaldo soma e segue em campo e fora dele, depois de há uma semana ter apresentado a sua nova coleção de sapatos, a CR7 Footwear, fabricada numa empresa em Guimarães e exportada para 20 países.