Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Euro 2016. Allons-y, mes amis!

  • 333

HUGO DELGADO / LUSA

Portugal venceu a Dinamarca por 1-0 e qualificou-se para o Europeu de futebol que irá ser disputado em França, em 2016

"O francês é uma língua muito difícil, como o português. Mas já percebo quase tudo."

Quando o Expresso entrevistou Bernardo Silva, em março, o jogador do Mónaco ainda estava a aprender francês (mas, atenção, já sabia o suficiente para ter arranjado uma namorada local). Hoje, mais de um ano depois de ter chegado a França, o nosso Silva já é o D' Artagnan deles: não só pela barbicha incomum e por ser titular do Mónaco, mas porque já se desenrasca perfeitamente com o francês.

Ele, e quem joga com ele no principado: João Moutinho, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão, todos titulares esta noite, em Braga, perante a Dinamarca. Todos eles vão ter muito trabalho nos próximos meses, a dar umas aulas de francês aos colegas, já que Portugal garantiu hoje a qualificação para o Euro 2016 que será disputado em França, precisamente com um golo de Moutinho.

José Coelho / Lusa

A seleção nacional entrou bem no jogo, pressionante, com mais posse de bola e mais ímpeto ofensivo do que os dinamarqueses (se bem que eram eles a ter de ganhar e não os portugueses, a quem bastava um ponto para garantir a qualificação), mas raramente conseguiu criar oportunidades de golo dignas desse nome.

Nada que surpreendesse muito quem acompanha a seleção de Fernando Santos, que é hiper eficaz - cinco vitórias em cinco jogos - mas raramente dá grande espectáculo e marca apenas o mínimo indispensável.

Os remates de longe de Moutinho e os cruzamentos de Coentrão foram os lances mais perigosos da seleção, que na 2ª parte ainda passou alguns calafrios (um deles ao poste da baliza de Rui Patrício) com Bendtner, o avançado dinamarquês alto (1,94 metros) mas pouco tosco, especialmente perante Portugal: já tinha marcado seis golos em seis jogos.

JOSE COELHO / LUSA

Apesar de ter baixado de rendimento com o desenrolar do jogo, que fez crescer a prudência ao invés da audácia, foi Portugal a conseguir marcar, aos 66 minutos, num lance que já se tinha visto: Moutinho pegou na bola à entrada da área, tirou dois adversários da frente e colocou-a bem redondinha no fundo da baliza de Kasper Schmeichel. Simples e eficaz.

Uma derrota (no primeiro jogo, com a Albânia, ainda no tempo de Paulo Bento) e seis vitórias depois, Portugal está no Euro 2016. "Começámos mal, mas acabámos bem. A vinda do mister Fernando Santos foi uma mais-valia para nós, recuperou alguns jogadores", disse Cristiano Ronaldo no final do jogo. "Desta vez não precisámos da calculadora". Pois não. Mas um dicionário português-francês é capaz de dar jeito. Allons-y!

  • Vamos ao Europeu!

    Golo de João Moutinho carimba passaporte para França. Desta vez, “não precisámos de calculadora” lembra Ronaldo. Graças da Deus e a Fernando Santos