Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sebastian Vettel interrompe domínio da Mercedes

  • 333

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) venceu o GP da Singapura, ao tirar partido da fantástica volta de qualificação feita na véspera, que lhe permitiu largar da “pole”

Num traçado onde as ultrapassagens são difíceis, tal facto ajudou Sebastian Vettel a comandar a corrida de fio a pavio e a alcançar a terceira vitória do ano (Malásia, Hungria e Singapura).

De assinalar que o alemão foi, até agora, o único a conseguir suplantar os “Mercedes boys”, que tiveram uma corrida para esquecer no circuito citadino da cidade estado que Lewis Hamilton foi forçado a abandonar (o que não sucedia desde o GP da Bélgica de 2014), por causa de problemas no acelerador. Nico Rosberg foi quarto, depois de ter tido dificuldades em ocupar o seu lugar na grelha de partida.

Quando a corrida começou, Sebastian Vettel, o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/Renault) e o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), que arrancaram das três primeiras posições, mantiveram-nas e terminaram por esta ordem, com Nico Rosberg a salvar a honra da Mercedes ao ser quarto, à frente do russo Daniil Kvyat (Red Bull/Renault), que foi “vítima” das entradas em ação do “safety car”.

Destaque, ainda, para o holandês Max Verstappen (Toro Rosso/Renault), que ficou “parado” na grelha de partida, no momento do arranque, tendo depois recuperado até ao oitavo lugar. Nas últimas voltas, desrespeitou uma ordem da equipa, que o mandou ceder a posição ao espanhol Carlos Sainz. Prevê-se que o assunto venha a ser discutido na equipa.

A corrida de Singapura ficou marcada pela presença em pista, por duas vezes, do “safety car”. A primeira, em consequência de um “toque” entre o brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes) e o alemão Nico Hulkenberg (Force Índia/Mercedes), quando o brasileiro regressava à pista; a segunda por o traçado ter sido invadido por um espectador, que passeou no circuito durante alguns metros, mostrando que as condições de segurança asseguradas não eram, afinal, suficientes. A maior parte dos pilotos aproveitou as duas situações para trocar de pneus.

O campeonato prossegue já no próximo domingo, no Japão, e a curiosidade é saber se a Mercedes vai conseguir recuperar o domínio que tem exercido ou se a aproximação da Ferrari e da Red Bull pode animar a fase final da temporada.

Classificação

1.º, Sebastian Vettel (Ferrari), 61 voltas (308,828 km), em 2.01.22,118 (152,672 km/h)

2.º, Daniel Ricciardo (Red Bull/Renault), a 1,478 s.

3.º, Kimi Raikkonen (Ferrari), a 17,154 s.

4.º, Nico Rosberg (Mercedes), a 24,720 s.

5.º, Valtteri Bottas (Williams/Mercedes), a 34,204 s.

6.º, Daniil Kvyat (Red Bull/Renault), a 35,508 s.

7.º, Sergio Perez (Force India/Mercedes), a 50,836 s.

8.º, Max Verstappen (Toro Rosso/Renault), a 51,450 s.

9.º, Carlos Sainz (Toro Rosso/Renault), a 52,860 s.

10.º, Felipe Nasr (Sauber/Ferrari), a 1.30,045

Classificaram-se mais cinco pilotos.

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova de Singapura:

Pilotos

1.º, Lewis Hamilton, 252 pontos

2.º, Nico Rosberg, 211

3.º, Sebastian Vettel, 203

4.º, Kimi Raikkonen, 107

5.º, Valtteri Bottas, 101

6.º, Felipe Massa, 97

7.º, Daniel Ricciardo, 73

8.º, Daniil Kvyat, 66

9.º, Sérgio Perez, 39

10.º, Romain Grosjean, 38

11.º, Max Verstappen, 30

12.º, Nico Hulkenberg, 30

13.º. Felipe Nasr, 17

14.º, Pastor Maldonado, 12

15.º, Fernando Alonso, 11

16.º, Carlos Sainz, 11

17.º, Marcus Ericsson, 9

18.º, Jenson Button, 6

Construtores

1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 463 pontos

2.º, Scuderia Ferrari, 310

3.º, Williams Martini Racing, 198

4.º, Infiniti Red Bull Racing, 139

5.º, Sahara Force Índia F1 Team, 69

6.º, Lotus F1 Team, 50

7.º, Scuderia Toro Rosso, 41

8.º, Team Sauber F1, 26

9.º, McLaren/Honda, 17

Próxima prova – Grande Prémio do Japão, no Circuito de Suzuka, dia 27 de setembro.