Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Decisão do título possível mas difícil no Rali de Mortágua

  • 333

José Pedro Fontes (Citroën DS3 R5) e Ricardo Moura (Ford Fiesta R5), partem para a prova com o pensamento na conquista do título, mas só em condições muito particulares a decisão acontecerá na prova beirã

Pedro Roriz

O Rali de Mortágua, penúltima prova do Campeonato Nacional, regressa aos pisos de terra depois de vários anos a decorrer em estradas asfaltadas, ao utilizar classificativas que integraram o traçado do Rali de Portugal

José Pedro Fontes (Citroën DS3 R5) e Ricardo Moura (Ford Fiesta R5), que ocupam as duas primeiras posições no campeonato, partem para a prova com o pensamento na conquista do título, mas só em condições muito particulares a decisão acontecerá na prova beirã, ficando adiada para o Rali Casinos do Algarve, de regresso ao calendário e que fecha a temporada.

Na verdade, só em caso de vitória do piloto do Citroën e de desistência do homem da Ford é que José Pedro Fontes inscreve, de imediato, o seu nome na lista de campeões nacionais de ralis. Se isso acontecer será uma estreia absoluta, ao contrário do que sucederá com Ricardo Moura que caso recupere o título se juntará a Armindo Araújo, Carlos Bica e Joaquim Santos no lote dos que somam quatro campeonatos conquistados.

Até agora, José Pedro Fontes venceu no asfalto (Guimarães, Castelo Branco e Madeira, aqui apenas em termos de pontuação) e Ricardo Moura ganhou na terra (Fafe e Açores) e, de forma inesperada, no asfalto do Vidreiro, o que quer dizer que do ponto de vista teórico a vantagem lhe pertence.

Contudo, Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), que faz a estreia do carro checo na terra, e João Barros (Ford Fiesta R5), que venceu no ano passado, estarão na luta pela vitória e dispostos a complicar as contas dos candidatos.

Adruzilo Lopes (Subaru Impreza), já virtual campeão nacional do Grupo RC2N, e Miguel Nunes (Mitsubishi Lancer X), que tem contra si o facto de fazer a estreia na prova, estarão à espreita de eventuais azares dos favoritos para poderem subir na geral.

Intenso será, também, o duelo entre Marco Cid (Renault Clio S1600) e Paulo Neto (Citroën DS3 R3T), no Grupo RC3, com os dois pilotos a chegarem a Mortágua empatados no comando do campeonato (99 pontos). Como ambos têm ainda uma desistência para deitar fora, também aqui a decisão seja adiada para o Algarve.

O Rali de Mortágua tem um total de 201,20 quilómetros, dos quais 102,96 se correm em quatro especiais, três delas feitas por duas vezes.

A prova arranca esta sexta-feira à noite, com uma Superespecial (1,86 km – 20h15) nas ruas da cidade e prossegue este sábado, a partir das 9h30, com os concorrentes a percorrerem as provas de classificação de Aguieira (23,20 km – 10h15 e 11h56), Rigueiras (9,20 km – 11h13 e 15h01) e Tojeira (18,15 km – 14h23 e 16h04). A chegada ao pódio final está marcada para as 17h04, junto à Câmara de Mortágua.

Classificação atual:

1.º, José Pedro Fontes, 144 pontos
2.º, Ricardo Moura, 128
3.º, João Barros, 99
4.º, Adruzilo Lopes, 61
5.º, Carlos Martins, 43,5
6.º, Pedro Meireles, 43
7.º, Elias Barros, 29
8.º, Paulo Neto, 25
9.º, Joaquim Alves, 24
10.º, Miguel Campos, 21

Estão classificados mais 20 pilotos.