Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Polémica do futebol em dia de eleições: Liga desconhece parecer negativo da CNE

  • 333

RAFAEL MARCHANTE / Reuters

Liga garante que não está a violar qualquer norma eleitoral, nem recebeu parecer negativo da Comissão Nacional de Eleições (CNE) em relação aos jogos dos grandes a 4 de outubro

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

”A recomendação da CNE a desaconselhar a realização de eventos desportivos no dia das eleições legislativas “não chegou à Liga até ao momento”, garantiu ao Expresso fonte do organismo de clubes, com sede no Porto.

Com Pedro Proença, em Genebra, na Suíça, a participar numa reunião da Associação das Ligas Europeias de Futebol (EPFL), a assessoria do novo presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional refere não estar prevista qualquer alteração de datas aos jogos agendados para 4 de outubro, “marcados com a total concordância dos dirigentes dos seis clubes em causa”.

Apesar de ser a primeira vez que em democracia se realizam jogos de futebol em dia de legislativas, a Liga argumenta que os encontros União da Madeira-Benfica, às 16 horas, FC Porto-Belenenses, 18h15, e Sporting-Vitória de Guimarães, 20h30, terão de ser realizados no domingo devido a um “constrangimento insanável do calendário desportivo internacional”.

Em comunicado, sexta-feira passada, a Liga adiantou que procedeu à antecipação da jornada das suas competições para sábado, dia 3 de outubro, para não coincidir com as eleições, situação que não foi possível ultrapassar no caso dos jogos que envolvem equipas participantes na Liga dos Campeões e na Liga Europa, na semana anterior às legislativas. O adiamento para 5 de outubro foi ainda descartado pela Liga e clubes, “dada a obrigatoriedade das referidas sociedades desportivas cederem jogadores às respetivas seleções nacionais”, na manhã de segunda-feira.

Para que todos os agentes desportivos possam exercer o seu direito de voto, o executivo liderado por Pedro Proença “solicitou e instruiu as sociedades desportivas em questão no sentido de tomarem as devidas diligências em relação aos agentes desportivos partipantes nos jogos para poderem exercer o seu direito de voto”.

No mesmo comunicado, a Liga adianta que endereçou comunicação à CNE a dar conhecimento da situação e a solicitar disponibilidade para apoiar as sociedades desportivas referidas, caso tenham alguma dificuldade junto das câmaras municipais nas quais venham a ser requeridas o exercício antecipado do direito de voto.

Após reunião plenária, esta terça-feira, a CNE reafirmou que a realização de jogos em dia de eleições não é aconselhável. Para além de poderem contribuir para a abstenção, os eventos do género “podem causar sérios problemas devido à proximidade dos jogos às assembleias de voto”, justifica a CNE.