Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sporting seguiu para Moscovo sem o marcador dos livres

  • 333

Jefferson tenta ultrapassar Zoran Tosic no jogo de há uma semana com o CSKA Moscovo, em Alvalade

TIAGO PETINGA / Lusa

Cansaço muscular afasta Jefferson do jogo da Champions com o CSKA Moscovo, que vale um importante encaixe financeiro à equipa que seguir para a fase de grupos

Não começou da melhor maneira a operação moscovita que o Sporting tem pela frente esta quarta-feira na Liga dos Campeões, com a confirmação da impossibilidade de Jefferson poder dar o seu contributo à equipa.

A substituição do defesa esquerdo aos 72 minutos do jogo deste sábado, frente ao Paços de Ferreira (1-1), já deixava antever a existência de complicações físicas com o brasileiro. A confirmação foi conhecida esta segunda-feira, com a ausência do jogador da comitiva leonina que ao início da tarde se apresentou no aeroporto da Portela, em Lisboa, para embarcar para a capital russa.

Jefferson não recuperou do cansaço muscular (mialgia na coxa esquerda) sentido diante os pacenses. No jogo com o CSKA Moscovo, que vai apurar quem segue para a fase de grupos da mais importante competição de clubes da UEFA, será rendido por Jonathan.

O jovem substituto argentino tem experiência de Champions (realizou três jogos na época passada) mas estará ainda longe de garantir o rendimento habitual de Jefferson. Trata-se sem dúvida de uma baixa de vulto na formação de Jorge Jesus, já que o brasileiro tem sido titular quase absoluto desde que chegou a Alvalade e está-lhe reservado papel primordial na cobrança de livres e cantos.

Para a jornada de Moscovo (quarta-feira, 19h45), que vale um avultado encaixe financeiro (14 milhões de euros) à equipa que garantir o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, Jorge Jesus alargou o leque das escolhas e incluiu 22 jogadores na comitiva oficial: Rui Patrício, Marcelo Boeck e Azbe Jug (guarda-redes); Esgaio, Jonathan Silva, Naldo, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo e João Pereira (defesas); André Martins, João Mário, Aquilani, Adrien, Gelson, Mané, Bryan Ruiz, Carrillo e Bruno Paulista (médios); e Montero, Slimani, Tanaka e Teo Gutiérrez (avançados).

Destaque para as chamadas de Azbe, Esgaio, Bruno Paulista e André Martins, embora dificilmente qualquer deles venha a ser uma opção válida para este jogo da segunda mão do “play-off”, no qual os leões se apresentam com apenas um golo de vantagem (2-1).

Decisão nos “detalhes”, antevê o técnico russo

O treinador do CSKA Moscovo, Leonid Slutsky, já fez na manhã desta terça-feira a antevisão do jogo, tendo pautado o seu discurso pela “incerteza no resultado”, que deverá durar até ao final da partida. “As coisas vão-se resolver em alguns detalhes, em coisas pequenas”, diz, citado pela agência Lusa.

Slutsky, que também é treinador interino da seleção russa, não ficou surpreendido com o Sporting do primeiro jogo, onde, diz, pôde confirmar que os leões têm “uma equipa muito forte”.

O treinador russo tem uma definição de 90% do ‘onze’ que tenciona utilizar, mas considera que a tática dependerá em muito do que o Sporting fizer na Arena Khimki. “A estratégia da equipa depende também da equipa contrária. Claro que precisamos de jogar futebol mais ofensivo e entrar em campo a querer fazer golos, ganhar este jogo, mas a estratégia depende das duas partes”, justifica.

Slutsky rejeita ainda que exista vantagem pelo facto de a sua equipa ter mais jogos disputados desde o início da época e lembra que isso não foi uma mais-valia no encontro de Alvalade.

A ausência do lateral-esquerdo Jefferson no Sporting também foi abordada pelo técnico, que disse não conhecer muito bem o eventual substituto, Jonathan Silva, reiterando a ideia de que um golo pode “mudar drasticamente a tática”.

Quanto ao perigo que pode surgir de jogadores como Slimani ou Carrillo, considera que a preocupação do CSKA não se pode focar em jogadores específicos mas fazer com que a equipa no seu todo “não permita perigo do Sporting”.

Já o lateral brasileiro Mário Fernandes, jogador do CSKA, considera que Jefferson, seu companheiro dos tempos do São Caetano, é uma baixa importante, embora saliente existirem outros grandes jogadores no Sporting, pelo que compete à sua equipa “fazer um grande jogo” para se qualificar.

“Sabemos que é muito importante fazer um golo fora de casa, conseguimos e amanhã [quarta-feira] sabemos que precisamos de marcar para vencer. Mas também sabemos que se sofrermos um golo fica muito difícil”, salienta o defesa. Apesar disso, revela não estar à espera de um Sporting tão ofensivo.