Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

E vão dez para Lewis Hamilton

  • 333

Lewis Hamilton solicitado pelos fãs belgas

Mark Thompson

O piloto da Mercedes assegurou a “pole position” para o GP da Bélgica, que decorre domingo no traçado de Spa-Francorchamps, e vai partir pela décima vez, em 11 corridas, da primeira posição da grelha de partida

Como era esperado, o domínio dos pilotos da Mercedes foi avassalador, com o britânico Lewis Hamilton e o alemão Nico Rosberg a ocuparem as duas primeiras posições, nas três sessões de treinos livres, situação que se manteve na qualificação, com o terceiro, o finlandês Valtteri Bottas (Williams/Mercedes), a ficar a mais de um segundo dos dois homens da frente.

O alemão ainda apanhou um “susto”, no segundo treino livre, num dos locais (Blanchimont) mais rápidos do traçado, um pneu rebentou sem que a equipa e a Pirelli tivessem percebido a razão de tal ter sucedido.

E a superioridade da Mercedes é, neste momento, de tal ordem que nas primeiras 10 posições da grelha de partida estão sete motores, cinco nos cinco primeiros lugares, da marca de Stuttgart, face à incapacidade da Ferrari e da Renault fazerem “jogo igual”, uma vez que a Honda continua a “anos luz” da concorrência.

Moralizado pela vitória na Hungria, o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), o único que, por duas vezes, derrotou os “Mercedes boys”, não conseguiu melhor que o nono tempo, enquanto o finlandês Kimi Raikkonen, que viu o contrato renovado para 2016, colocando ponto final na especulação que existia ao redor da sua continuidade em Maranello, não passou da segunda qualificação, em consequência de uma avaria, que pode relegá-lo mais para trás na grelha de partida, caso a equipa sinta necessidade de trocar alguns dos elementos do motor.

Em contrapartida, o francês Romain Grosjean (Lotus/Mercedes), que registou o quarto tempo na qualificação, sabe que vai arrancar na nona posição da grelha, como consequência do facto de ter trocado a caixa de velocidades, o que implicou a perca de cinco lugares no momento da partida.

O mesmo sucede com os pilotos da McLaren/Honda, o inglês Jenson Button e o espanhol Fernando Alonso, relegados para a última linha da grelha, por terem trocado, uma vez mais, as unidades propulsoras, com os japoneses convictos de que as férias podem provocar uma evolução positiva nos resultados da equipa, por estarem convictos que os novos motores são bem mais eficazes que os anteriores.

Face à vantagem conseguida é de crer que a corrida seja um “passeio” dos “Mercedes boys”, restando a curiosidade de saber se Nico Rosberg consegue bater Lewis Hamilton, com o derradeiro lugar do pódio a poder ser discutido por vários pilotos.

Grelha de partida (oficiosa) – 1.ª linha: Lewis Hamilton (Mercedes W06/Mercedes), 1.47,197; Nico Rosberg (Mercedes W06/Mercedes), 1.47,655; 2.ª linha: Valtteri Bottas (Williams FW37/Mercedes), 1.48,537; Sérgio Perez (Force Índia VJM07/Mercedes), 1.48,599; 3.ª linha: Daniel Ricciardo (Red Bull RB11/Renault), 1.48,639; Felipe Massa (Williams FW37/Mercedes), 1.23,537; 4.ª linha: Pastor Maldonado (Lotus E23/Mercedes), 1.48,754; Sebastian Vettel (Ferrari SF15-T/Ferrari), 1.48,825; 5.ª linha: Romain Grosjean (Lotus E23/Mercedes), 1.48,561; Carlos Sainz (Toro Rosso STR10/Renault), 1.49,771; 6.ª linha: Nico Hulkenberg (Force Índia VJM08/Mercedes), 1.49.121; Daniil Kvyat (Red Bull RB11/Renault), 1.49,228; 7.ª linha: Marcus Ericsson (Sauber C34/Ferrari), 1.49,586; Kimi Raikkonen (Ferrari SF15-T/Ferrari), sem tempo; 8.ª linha: Felipe Nasr (Sauber C34/Ferrari), 1.49,52; Will Stevens (Marussia MR04/Ferrari), 1.52,948; 9.ª linha: Roberto Merhi (Marussia MR04/Ferrari), 1.53,099; Max Verstappen (Toro Rosso STR10/Renault), sem tempo; 10.ª linha: Jenson Button (McLaren MP4-30/Honda), 1.50,978; Fernando Alonso (McLaren MP4-30/Honda), 1.51,420