Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Jesus antevê “um encontro extremamente difícil” com o CSKA Moscovo

  • 333

O treinador do Sporting, mostrou-se de poucos sorrisos na conferência de imprensa em Alvalade, mas mostrou-se confiante na vitória

TIAGO PETINGA/LUSA

Tanto Jorge Jesus como o médio João Mário estão de acordo quanto ao confronto desta terça-feira em Alvalade: os russos são uma equipa difícil, extremamente forte e intensa

Jogador e treinador estão de acordo: o jogo desta terça-feira vai ser “extremamente difícil”. Foi este o sentimento que transpareceu da conferência de imprensa de João Mário e de Jorge Jesus, na antevisão do jogo da primeira mão do “play-off” de acesso à Liga dos Campeões, entre o Sporting e o CSKA Moscovo.

Segundo João Mário, a equipa sente-se preparada e confiante, mas na hora de discutir favoritismos, o médio português é claro: as chances são as mesmas para os dois lados, embora o CSKA tenha a vantagem de estar a jogar há mais tempo no seu campeonato e de ser uma equipa muito experiente nas competições europeias.

Quando questionado sobre a pressão financeira para ganhar o jogo, João Mário preferiu focar a importância desportiva: “Estar na Liga dos Campeões é um aliciante desportivo enorme para todos os jogadores do clube”.

O médio foi também questionado sobre se o embate de terça-feira poderia ser uma vingança, depois da fatídica derrota em 2005, quando o Sporting perdeu a final da Liga Europa contra a equipa moscovita no estádio de Alvade: “É uma má lembrança de todos os sportinguistas, mas estes são jogos diferentes, equipas diferentes” disse, afastando a pressão do passado.

“A vitória irá ser decidida em duas partes”

O discurso de Jorge Jesus não fugiu muito ao de João Mário. O treinador considera o adversário extremamente difícil e indicia a intensidade competitiva do adversário. que é líder no campeonato russo com cinco vitórias e nenhuma derrota. Apesar disso, acredita que a eliminatória vai ser discutida em duas partes e moostra-se contente com a evolução recente da equipa que agora dirige.

Jesus explicou também a força do oponente: “A força do CSKA está no seu tridente ofensivo e no seu contra-ataque rápido”, que o Sporting espera conseguir anular. O técnico diz ainda que não sofrer golos em casa será uma das chaves para ultrapassar a eliminatória. E não esconde também o peso da eliminatória, tanto desportivamente como financeiramente.

Confrontado sobre o seu historial negativo contra equipas russas, Jesus respondeu tranquilamente: “Já perdi, mas já ganhei. Veja-se o caso do Zenit.”