Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Azerbeijão: jornalista espancado até à morte após criticar jogador de futebol

  • 333

Esta frase custou a vida a um jornalista: “Eu não quero alguém tão imoral, impertinente e incapaz de se controlar a representar-me nos estádios do futebol europeu”

Tudo começou com Javid Huseynov, um jogador do Futebol Clube de Gabala, durante um encontro em Chipre a contar para a Liga Europa: o jogador mostrou no final do jogo a bandeira da Turquia aos adeptos locais (a História não fez de turcos e cipriotas os melhores amigos) e, mais tarde, reagiu com um gesto obsceno depois de questionado por um jornalista sobre o que havia feito em campo.

Rasim Aliyev, jornalista do Azerbaijão, partilhou o vídeo da situação no Facebook, deixando o seguinte comentário: “Eu não quero alguém tão imoral, impertinente e incapaz de se controlar a representar-me nos estádios do futebol europeu”.

Num vídeo divulgado pelo “The Guardian”, Aliyev - já no hospital e poucas horas antes de morrer - explica que o seu post recebeu várias críticas e que a certa altura recebeu uma chamada do primo do Huseynov insultando-o aos berros. Dez minutos mais tarde, contou Aliyev, o primo do jogador voltou a ligar mostrando-se arrependido pela agressividade demonstrada no primeiro telefonema - e deixou um convite para beberem chá, de forma a resolverem a situação. Apesar de ter desconfiado, Aliyev conta que a insistência do primo de Huseynov levou-o a aceitar o convite.

Após chegar ao local de encontro, no passado sábado, aconteceu a tragédia: quando se preparava para cumprimentar o primo do jogador, Aliyev foi imediatamente espancado por seis homens, ficando em estado crítico. O jornalista foi levado para um hospital local, onde acabou por falecer no domingo.

Face a esta situação, o Futebol Clube de Gabala decidiu suspender Huseynov enquanto as investigações estiverem a decorrer: “Apesar de Huseynov ser um jogador muito importante para o Gabala, o jogador foi expulso da equipa principal até que este assunto esteja clarificado”, relatou o clube em comunicado.

O Presidente do Azerbaijão também já comentou o incidente, demonstrando-se muito preocupado e apelidando o acontecimento de “uma ameaça à liberdade de expressão”.