Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Especiais noturnas estão de regresso no Rali Vinho Madeira

  • 333

José Pedro Fontes, num Citroëm DS3 R5

Jorge Cunha / AIFA

Sem o prestígio de outrora, quando era uma das mais importantes provas do Europeu, o Rali Vinho Madeira continua a atrair muitos pilotos. Arranque será feito esta noite, com a superespecial na baixa do Funchal

Criada em 1959, a Volta à Ilha da Madeira, rebatizada Rali Vinho Madeira em 1982, é a prova mais antiga do calendário do Campeonato Nacional da especialidade, que integra desde 1967.

A edição de 2015 apresenta novidades, a primeira das quais é o regresso às especiais noturnas, para agrado dos participantes, a que se junta a volta à superespecial de abertura, no centro do Funchal, depois de dois anos de ausência à conta das obras feitas na zona; a redução da especial do Campo de Golfe, que começa depois da sua entrada, porque na mesma data decorre o Open de golfe da Madeira, e a estreia da classificativa de Câmara de Lobos.

Face à lista de inscritos, que reúne os protagonistas dos Campeonatos Nacional e da Madeira, fica a curiosidade de saber aquilo que, em princípio, o único estrangeiro presente, o francês Robert Consani (Citroën DS3 R5), 4.º do Europeu, que foi 3.º classificado no Sata Rali Açores, será capaz de fazer face aos pilotos nacionais.

Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), depois da boa estreia ao volante do carro checo no Rali do Centro, Ricardo Moura (Ford Fiesta R5), que defende o comando do campeonato, José Pedro Fontes (Citroën DS3 R5), apostado em regressar ao primeiro lugar da competição, e Bruno Magalhães (Peugeot 208 T16 R5), que vai à Madeira rodar para o Europeu, onde é 6.º depois de ter participado em duas das seis provas efetuadas, formam o quarteto de candidatos à vitória. Mas Miguel Nunes (Ford Fiesta R5), campeão madeirense em título, e Alexandre Camacho (Citroën DS3 R5), actual comandante do campeonato da ilha, ambos com a vantagem de jogarem em casa, podem entrar na luta pelo triunfo embora tenham o handicap de fazerem a estreia ao volante dos respetivos carros.

Mais de 200 km cronometrados

O Rali Vinho Madeira decidir-se-á em 19 provas de classificação (num total de 204,67 quilómetros), que na realidade são apenas nove, feitas por duas vezes, a que se junta a superespecial (19h30 – 2,21 km), no centro do Funchal, que abre a prova esta quinta-feira.

No dia seguinte, o rali abre com uma dupla passagem por Campo de Golf (10,40 km – 11h35 e 14h32) e Palheiro Ferreiro (18,95 km – 12h13 e 15h10), a especial mais extensa, para terminar com as passagens por Cidade de Santana (10,78 km – 17h48 e 20h53), Ribeiro Frio (9,44 km – 18h25 e 21h30) e Terreiro da Luta (7,90 km – 18h50 e 21h55).

Finalmente, no sábado, a prova termina com a dupla passagem pelos troços de Câmara de Lobos (11,40 km – 10h42 e 14h39), a novidade, Ponta do Sol (7,98 km – 11h23 e 15h20), Ponta do Pargo (13,05 km – 12h06 e 16h03) e Rosário (11,33 km – 12h57 e 16h54).