Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Benfica. À quarta é que foi de vez, mas só nos penáltis

  • 333

HENRY ROMERO/REUTERS

Apesar de ter feito uma exibição sem brilho, a equipa encarnada foi superior aos mexicanos do Club América, garantindo a primeira vitória da pré-temporada já fora do tempo regulamentar

O Benfica venceu esta terça-feira (já madrugada de quarta em Lisboa) os mexicanos do Club América, no desempate por grandes penalidades, após uma igualdade 0-0 no tempo regulamentar, em jogo da International Champions Cup de futebol, disputado na Cidade do México.

O jogo teve poucos motivos de interesse, tendo os encarnados realizado uma exibição pouco convincente, apesar de terem dominado a partida, mas sem terem criado grandes embaraços à defesa contrária.

A exceção ocorreu aos 15 minutos, quando Alvarado derrubou Nico Gaitán na área mexicana, num dos raros lances em velocidade por parte do Benfica, tendo o árbitro assinalado a respetiva grande penalidade, Na conversão, Jonas também não destoou do resto da equipa e atirou fraco para uma defesa fácil de Munoz.

Até final da primeira parte, o domínio manteve-se do Benfica, que criou algumas situações perigosas perto da área mexicana, enquanto o América apenas por uma vez criou perigo, mas com um cabeceamento para fora, aos 18 minutos.

O Benfica parecia querer imprimir mais velocidade no arranque da segunda parte, mas cedo voltou ao futebol lento e sem ideias da primeira parte, perante um América que também pouco fazia para alterar o rumo da partida.

Nem mesmo a expulsão por vermelho direto de Buron, aos 70 minutos, serviu para o Benfica melhorar a sua prestação, tendo o América reagido melhor à desvantagem numérica em campo e criado finalmente lances de algum perigo junto da área encarnada.

O empate manteve-se até final, pelo que o vencedor teve de ser encontrado no desempate por pontapés da marca da grande penalidade, tendo o Benfica vencido por 4-3.