Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Bruno de Carvalho e os “monstros” do Cabo da Boa Esperança (e da Liga)

  • 333

O presidente do Sporting criticou a FPF e a Liga

Dave Thompson

Federação Portuguesa de Futebol chumbou o sorteio dos árbitros, que tinha sido aprovado pelos clubes da Liga, e o presidente do Sporting não gostou

Bruno de Carvalho está na África do Sul a acompanhar a pré época do Sporting (que sexta-feira empatou com o Ajax Cape Town, 2-2, e volta a jogar domingo, contra o Crystal Palace, às 14h30, SportTV1), mas não desvia a atenção de Portugal, onde, esta tarde, a Assembleia Geral Extraordinária da Federação Portuguesa de Futebol decidiu chumbar a proposta para que a escolha dos árbitros nos jogos das provas profissionais fosse feita por sorteio condicionado.

A maioria dos clubes da Liga tinha aprovado esta semana a proposta, mas 53 dos 71 delegados presentes na Assembleia Geral disseram “não” ao sorteio, pelo que os árbitros continuarão a ser nomeados pelo Conselho de Arbitragem da FPF.

O que não agradou ao presidente do Sporting, um dos maiores defensores da medida, juntamente com o FC Porto. “Estamos no Cabo da Boa Esperança, onde se falava de monstros e onde muitas pessoas morreram, mas um dia um português passou e mudou tudo. Estamos involtos num mundo de incompetência de hipocrisia, verificámos existirem uns delegados que não faziam ideia do que se estava a falar e não houve capacidade da Liga em informá-los sobre as virtudes do sorteio e o regulamento com as alterações pensadas”, disse Bruno de Carvalho esta tarde, citado pelo “Record”.

“Não é fácil perceber que a FPF, que utiliza os nossos ativos, está de costas voltadas para nós. Os clubes fizeram um trabalho sério, ponderaram bastante e neste momento percebemos que os clubes não têm quem os defenda. É o que dizemos há muito tempo. É preciso ter um presidente da Liga que nos defenda e que não se deixe ser eliminado numas votações depois de os clubes terem decidido de outra forma.”, acrescentou, criticando implicitamente Luís Duque, o atual presidente da Liga, cuja recandidatura o Sporting não apoia. “Temos de ser serenos, perceber o que é o futebol, os interesses que estão à volta e lutar todos juntos por votar num presidente da Liga que não tenha medo de defender os clubes”.

Tanto o Sporting como o FC Porto apoiam a candidatura de Pedro Proença à presidência da Liga, enquanto o Benfica defende a permanência de Luís Duque. As eleições no organismo que rege o futebol profissional em Portugal estão marcadas para terça-feira, mas convém ressalvar que tanto o atual presidente como o ex-árbitro têm a mesma opinião sobre o sorteio dos árbitros: são contra.