Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

“Troquei o conforto pelo risco”, diz Jorge Jesus

  • 333

Tiago Miranda

Jorge Jesus deu neste domingo a sua primeira entrevista como treinador dos 'leões', à SIC Notícias, falando do seu novo projeto, o Sporting. O ex-técnico dos encarnados explica que deixou de se sentir desejado no Benfica, o que motivou a sua saída

Durante duas horas, Jorge Jesus explicou no programa "Playoff" da SIC Notícias o que o levou a assinar pelo Sporting, quantos jogadores espera contratar, qual é a sua ideia de jogo e o que correu mal no Benfica. O Expresso dá-lhe a conhecer os pontos mais importante da entrevista

Sobre a mudança 

“Troquei o conforto pelo risco” - Jorge Jesus explica que no Benfica já tinha seis anos de casa e que a grande maioria já sabia a sua forma de trabalhar. É bicampeão e portanto no Benfica tudo seria mais fácil. No Sporting a realidade é bem diferente e será necessário criar uma mentalidade vencedora que respeite a história do clube. Apesar de essa mudança, Jorge Jesus afirma “acredito que vou ser campeão já na primeira época”.

Jorge Jesus explica ainda que a principal razão que o levou a sair do Benfica foi o facto de não se ter sentido desejado no seu último ano como treinador dos encarnados, inversamente ao que se passou no Sporting: “Queriam-me tanto no Sporting que nem discuti verbas”

Sobre a nova época

O treinador do Sporting fala ainda dos objetivos para a nova temporada: “Chegar à Champions é uma prioridade. O grande objectivo é a Liga. Temos a Supertaça e, como é o primeiro título, também é importante”

Sobre os reforços

“Queremos contratar no máximo cinco jogadores e no mínimo três” – O novo treinador do sporting acrescentou mais um ou dois reforços ao número que Bruno de Carvalho tinha dado dias antes (o presidente do Sporting falou em dois/três reforços) numa entrevista ao jornal da noite da TVI.

Jesus confessa que "gostava que Danilo Pereira tivesse vindo" e sobre Wolfswinkel refere que "é uma hipótese. Fez boas épocas no Sporting e saiu por uma boa quantia. Há outras prioridades".

Sobre a academia e mito da formação

Sobre a academia garante que o sporting têm muita qualidade nas camadas jovens e assegura, que dois jovens jogadores que actuaram na equipa B na época passada, vão fazer parte do plantel principal na próxima época.

Realça ainda que foi ele o primeiro a valorizar os jogadores da formação do Benfica: “Quantos jogadores da formação tinha o Benfica vendido antes de eu chegar lá? Ninguém sabe…Não se formam apenas jovens!”

Sobre o sistema de jogo

"A ideia de jogo vai ser a mesma: 4-4-2". Jorge Jesus tira as duvidas de muitos que não sabiam se o ex-treinador do Benfica, iria manter o antigo sistema táctico de Marco Silva e mais habitual nos últimos anos (4-3-3) ou se ia adoptar o seu sistema predilecto, que usou no Benfica.

Sobre o estrangeiro

“Jorge Mendes não me apresentou só propostas do Qatar, mas também dos melhores clubes Italianos, Turcos e Russos”. Entre eles: Milan, Inter, Nápoles e Roma". Quanto ao valor das propostas conta que rondaram “os seis e oito milhões líquidos”

Sobre a relação com o presidente

Jesus confessa que a relação tem tudo para correr bem: “Tenho uma forma de trabalhar que é muito em sintonia com os presidentes. E com o BDC não vai mudar.”

Sobre o facto de o presidente estar ou não no banco, confessa que essa é uma decisão de Bruno de Carvalho: “O Presidente é que decide se quer ir para o banco”

Sobre William

“Comigo William vai jogar mais”. É esta a crença de Jorge Jesus sobre a evolução de uma das maiores pérolas da formação do Sporting. No entanto, o antigo treinador do Benfica deixa um aviso: "Vai ser potenciado se a equipa também for. Uma coisa está ligada à outra". Afirma no entanto que “William já é uma certeza”

Sobre o capitão

“Não é capitão de equipa quem tem mais anos de clube”. Jorge Jesus afirma que este é apenas um critério e que há outras características mais importantes e determinantes nesta escolha.