Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Sofrido, mas motivante: Michelle avança em Wimbledon depois de salvar 4 match points

  • 333

Andrew Boyers / Reuters

Portugueses com sorte diferente na 1ª ronda do qualificação de Wimbledon. Michelle Brito alcançou uma das vitórias mais emocionantes da sua carreira. Já Rui Machado terá de esperar pelo próximo ano para voltar a pisar a relva de Londres

Michelle Brito, que há pouco mais de uma semana se destacou em Birmingham ao vencer a Sérvia Ana Ivanovic, 7ª classificada do ranking ATP, voltou a mostrar que é em relva que demonstra o seu melhor ténis. Se por um lado é verdade que a adversária não tinha a mesma valia (Ysaline Bonaventure é apenas 196ª do ranking mundial), a forma como alcançou a vitória poderá servir de incentivo extra para a tenista lusa nas restantes duas rondas do qualyfing.

Depois de um 1º set desastroso em que foi vergada por 1-6, Michelle apareceu com outra mentalidade, arrecadando o segundo parcial por 6-3. No set decisivo demonstrou uma enorme capacidade de sofrimento e de combatividade, acabando mesmo por vencer o encontro por 12-10, após salvar 4 match points. Para fazer igual aos seus dois últimos anos em Wimbledon (3ª ronda do qualyfing), Michelle Brito terá de vencer a norte-americana Jéssica Pegula, nº 298 do circuito.

Já o português Rui Machado (224 da hierarquia) não conseguiu impor o seu ténis, sucumbindo aos pés de Jason Kubler (171 do ranking atp), pelos parciais de 6-3 e 6-4. Apesar de ter lutado bastante, o ténis de Machado nunca foi suficiente para fazer face ao jovem australiano de 22 anos.

Resta ainda um português em prova no quadro masculino: Gastão Elias. O segundo melhor tenista português da actualidade (nº 164 do circuito) defronta o italiano Horácio Zebellos, não se adivinhando tarefa fácil contra o atual 128 do ranking ATP.