Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Cem anos depois, Paris quer receber os Jogos Olímpicos

  • 333

Candidatura oficial foi apresentada esta terça-feira de manhã, mas a 14 de julho, dia em que a França comemora a Tomada da Bastilha, o Presidente Hollande aproveitará esse feriado nacional para relançar ao mundo a proposta olímpica da capital

Paris é desde esta terça-feira candidata oficial à organização dos Jogos Olímpicos de 2024, tornando-se assim a quarta cidade a entrar na corrida ao lado de Boston, Hamburgo e Roma. A intenção é fazer regressar o evento à cidade-luz exatamente cem anos depois da capital francesa ter sido palco dos Jogos de 1924, um trunfo que poderá eventualmente fazer a diferença na hora da escolha.

O lançamento oficial da candidatura foi feito esta manhã, na sede do Comité Olímpico Francês, mas uma segunda cerimónia está agendada para 14 de julho, dia em que a França comemora a Tomada da Bastilha. Nesse dia nacional, o Presidente François Hollande aproveitará a oportunidade solene para relançar ao mundo a proposta olímpica da capital. Paris acolheu os Jogos de 1900 e 1924 e mais recentemente foi derrotada em três ocasiões: 1992 (ganhou Barcelona), 2008 (Pequim) e 2012 (Londres).

O anúncio hoje feito marca o início de um longo processo de dois anos, em que Paris tentará montar uma candidatura capaz de convencer o Comité Olímpico Internacional. As autoridades francesas parecem ter aprendido com as duas últimas derrotas e apresentam-se agora com uma abordagem mais cautelosa e humilde, com o próprio movimento desportivo a dar um apoio maciço a esta proposta.

Hollande e o primeiro-ministro Manuel Valls têm mantido um baixo perfil ao longo dos últimos seis meses, mas são claros no apoio à proposta. E até a presidente da Câmara de Paris, que era inicialmente contra a ideia, sobretudo pelos custos e impacto impacto ambiental, mudou de opinião.

Anne Hidalgo é agora uma das mais fervorosas defensoras dos Jogos em Paris e o evento recolhe largo consenso político. "Paris está ansiosa perante um futuro emocionante e ousado, mantendo-se fiel às suas tradições desportivas e culturais", diz. 

A decisão final apenas será conhecida dentro de dois anos, numa reunião do COI a realizar em Lima, Peru, já depois dos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, e antes dos Jogos de Tóquio, agendados para 2020.